Usina de oxigênio será criada em SP

Governo mobilizou a iniciativa privada para aumentar a produção de oxigênio
Governo mobilizou a iniciativa privada para aumentar a produção de oxigênio - FOTO: Sergio Andrade

O governo de São Paulo anunciou durante coletiva de imprensa na tarde desta segunda-feira, 22, que vai criar uma usina de oxigênio em Ribeirão Preto, para atender a demanda de pacientes do coronavírus no Estado, que completa uma semana na fase emergencial do Plano SP. A iniciativa é uma parceria com a Ambev e com a Copagaz, com previsão de lançamento em 10 dias.

Em reunião com empresários nesta manhã, o governador João Doria teria mobilizado a iniciativa privada para aumentar a produção e distribuição de oxigênio no Estado. De acordo com o vice-governador Rodrigo Garcia, a Ambev será a responsável por criar a usina e teria se comprometido a doar integralmente a produção diária de 120 cilindros de oxigênio. Ao mesmo tempo, a Copagaz ficará responsável por usar a sua frota para o transporte e logística dos cilindros, atendendo as redes estadual, municipal, filantrópica e privada.

O governo ainda negou que haja risco de desabastecimento de oxigênio na rede estadual, e que a abertura da usina visa suprir o aumento dessa demanda. "A reunião do governador foi justamente para ampliar a visão e apoio do Estado para todas as redes de São Paulo, mesmo aquelas que não [sejam] de responsabilidade direta do governo", afirmou Garcia.

"Temos um desafio com cilindros porque passamos a ter UTIs em regiões descentralizadas e fizemos uma expansão muito grande da nossa rede, o que trouxe esse desafio de termos os oxigênios através de cilindros, e não de tanques", explicou Patrícia Ellen, secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, durante a coletiva de imprensa para anunciar a novidade aos órgãos de comunicação e as medidas que estão sendo tomadas para frear o avanço da epidemia.