Estudantes protestam em visita de ministro

recenseadores e agentes censitários do IBGE
recenseadores e agentes censitários do IBGE - FOTO: Licia Rubinstein/Agência IBGE Notícias

Sob protesto de estudantes e gritos de 'Bolsonaro genocida', o novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, visitou nesta quinta-feira, 25, a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), onde se reuniu com diretores e professores da instituição.

Em seu discurso para a comunidade acadêmica, o cardiologista adotou tom conciliador e pediu um voto de confiança aos colegas. Disse que está tentando montar uma equipe técnica e que a autonomia do médico está condicionada a "práticas cientificamente aceitas", mas não respondeu objetivamente se, sob sua gestão, o Ministério da Saúde seguirá apoiando o uso de remédios como a cloroquina e a azitromicina contra a covid, defendidos pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como suposto "tratamento precoce" para a covid-19, mas que já se mostraram ineficazes contra a doença.

Em sua fala, o ministro afirmou que sua missão é "conquistar a confiança do presidente" Jair Bolsonaro para subsidiá-lo com as melhores informações. (E.C)