Irmão do presidente de Honduras é condenado

Juan Antonio "Tony" Hernández, irmão do presidente de Honduras, Juan Orlando Hernández, foi condenado na terça-feira à prisão perpétua por narcotráfico por um juiz federal de Nova York. Ele foi considerado culpado em um julgamento em 2019 pelo tráfico de 185 toneladas de drogas para os Estados Unidos, segundo os promotores americanos, com a ajuda do seu irmão, uma acusação que o presidente do país centro-americano nega.

Também ex-deputado, Tony Hernández, de 42 anos, foi considerado culpado por outras três acusações de tráfico de cocaína para os EUA, falso testemunho e posse de armas de fogo. O juiz Kevin Castel disse que a sentença de prisão perpétua para Hernández, que foi detido em um aeroporto de Miami em novembro de 2018, era "muito merecida".

Os promotores do distrito sul de Nova York asseguraram em seu processo que o presidente de Honduras foi um sócio-chave de seu irmão, embora ele não tenha sido acusado. Os promotores exigiram prisão perpétua, ressaltando que Hernández "não demonstrou nenhum remorso", enquanto a defesa havia pedido a pena mínima de 40 anos.

"O réu era um congressista hondurenho que, junto com seu irmão Juan Orlando Hernández, desempenhou um papel de liderança em uma violenta conspiração de tráfico de drogas patrocinada pelo Estado", escreveram os promotores ao juiz.

Tony Hernández atuou "com total impunidade" graças à proteção de seu irmão e contribuiu para a "putrefação" das instituições hondurenhas, afirmou também a promotoria durante o julgamento. (E.C.)

Deixe uma resposta

Comentários