China não entrega doses e dificulta vacinação

Médicos e autoridades turcas disseram enfrentar atrasos
Médicos e autoridades turcas disseram enfrentar atrasos - FOTO: Divulgação

Graças às vacinas chinesas, a Turquia montou uma das campanhas de vacinação contra o coronavírus mais rápidas do mundo, administrando pelo menos uma dose a quase 18 milhões de pessoas, mais de um quinto de sua população, segundo o Ministério da Saúde. Mas a campanha de vacinação tem tropeçado recentemente, depois do que médicos e autoridades turcas disseram enfrentar atrasos nos carregamentos da empresa farmacêutica chinesa Sinovac.

Na semana passada, partes da robusta rede de vacinação da Turquia praticamente pararam quando hospitais e clínicas foram forçados a recusar pacientes, de acordo com Sebnem Korur Fincanci, presidente da Associação Médica turca. Não foi a primeira vez que pacientes foram recusados recentemente por causa da falta de doses, disse ela.

A frustrante luta da Turquia para obter doses de vacina é a mais recente ilustração da influência descomunal da China sobre o destino das nações que lutam contra a pandemia.

A exportação de milhões de doses de vacina da China forneceu uma tábua de salvação para dezenas de países em desenvolvimento que têm dificuldade em obter vacinas ocidentais e ajudou a projetar o domínio de Pequim através da "diplomacia da vacina".

Mas a generosidade da China veio em meio a preocupações de autoridades de saúde em alguns dos países sobre a eficácia de suas vacinas e perguntas de analistas da indústria sobre a capacidade de produção do país seria capaz de acompanhar uma lista cada vez maior de clientes no exterior - e a campanha em massa de vacinação dentro do país que está apenas começando a crescer em casa. (E.C.)