CRM apura abusos do kit Covid em 4 Estados

Defendidas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), drogas como a hidroxicloroquina e a ivermectina continuam sendo prescritas mesmo após estudos clínicos apontarem que não funcionam para a Covid-19 e autoridades de saúde como a Organização Mundial da Saúde (OMS) desaconselharem seu uso. Embora a prescrição de remédios do chamado kit Covid tenha o aval do Conselho Federal de Medicina (CFM), que defende o argumento da autonomia médica, os profissionais podem ser punidos se divulgarem as drogas como garantia de cura ou se o tratamento causar efeitos colaterais aos pacientes.

Ao menos quatro conselhos regionais de Medicina (CRMs) já investigam casos do tipo, com os 27 conselhos, que são os órgãos responsáveis por fiscalizar o exercício da profissão nos Estados.

São Paulo investiga 25 casos. No Rio Grande do Sul, são dez registros. Na Bahia, outras oito. Ao menos em dois casos (em São Paulo e na Bahia), os médicos investigados já sofreram uma interdição cautelar - ou seja, tiveram a licença para exercer a medicina suspensa temporariamente. (E.C.)