Pelo menos 870 cidades atrasam segunda dose

675 cidades informaram também falta da primeira dose
675 cidades informaram também falta da primeira dose - FOTO: Wanderley Costa/Secop Suzano

Diante da escassez de vacinas contra o coronavírus no país, ao menos 870 municípios, de 22 Estados, ficaram sem estoque para aplicar a segunda dose do imunizante no prazo previsto pelo fabricante. Além disso, 675 cidades informaram também falta da primeira dose para aplicação em grupos prioritários. Os números são de pesquisa da Confederação Nacional de Municípios (CNM), realizada entre segunda e quinta-feira passada.

Os dados mostram que, do total de 2.824 prefeituras participantes do estudo, 30,8% informaram ter ficado sem reserva para a segunda injeção da Coronavac, prevista para ocorrer entre 14 e 28 dias após a primeira, conforme orienta o Instituto Butantan, que fabrica a vacina. Outros 1.954 (69,2%) responderam que não tiveram esse problema. Em relação à primeira dose, 23,9% das cidades respondentes (675) declararam ter faltado o imunizante e 76,1% (2.145) disseram o contrário.

A Região Sul foi a que registrou maior problema: 259 cidades (27%) reclamaram de falta da primeira dose e 451 (47%) relataram problema. (E.C.)