Produtores argentinos marcam paralisação

A Comissão de Enlace das Entidades Agropecuárias da Argentina (CEEA), grupo que reúne as principais entidades agropecuárias da Argentina, está pedindo ao setor que paralise a comercialização de todos os produtos bovinos nos próximos dias.

A medida foi anunciada em comunicado divulgado ontem após reunião de emergência da entidade. A paralisação deve ocorrer a partir da meia-noite de amanhã, até a sexta-feira, 28.

Segundo a entidade, a medida é uma resposta ao bloqueio pelo governo argentino das exportações de carne bovina do país por 30 dias, anunciado na noite de anteontem.

A CEEA realizou ontem uma coletiva de imprensa para explicar a medida e o "descontentamento dos produtores".

A entidade afirmou que rejeita a política adotada pelo governo, pois "sem dúvida prejudicará toda a Argentina".

A suspensão das exportações de carne bovina por um mês foi anunciada na noite de anteontem pelo Ministério do Desenvolvimento Produtivo da Argentina, alegando que a medida é uma consequência do "aumento sustentado" dos preços internos do produto.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento Produtivo o bloqueio das exportações foi comunicado na segunda-feira pelo presidente da Argentina, Alberto Fernández, em reunião com o Consórcio de Exportadores de Carnes Argentinas (ABC), que representa os frigoríficos argentinos exportadores.

O ministério também informou que o governo argentino vai adotar um conjunto de medidas de emergência com objetivo de organizar o funcionamento do setor. (E.C.)