MPF e entidades pedem investigação independente

Primeiro dia de vacinação foi ontem em Guararema
Primeiro dia de vacinação foi ontem em Guararema - FOTO: Vitoria Mikaelli/Guararema

O Grupo de Trabalho de Defesa da Cidadania, coordenado pelo Ministério Público Federal (MPF), pediu ontem uma investigação independente sobre a operação Exceptis, realizada pela Polícia Civil no Jacarezinho, na zona norte carioca, no último dia 6.

Na ação, 28 pessoas foram mortas em supostos confrontos com policiais. Um inspetor foi assassinado. O colegiado, formado por onze instituições, enviou um ofício ao Ministério Público do Rio. Nele, pediu que a Polícia Civil seja afastada da investigação. Reivindicou ainda o arquivamento do inquérito policial sobre as mortes na comunidade. O objetivo seria "evitar caso de impunidade". No documento, as entidades pedem também que a nova apuração seja feita com apoio da Polícia Federal.

O documento, enviado ao procurador-geral de Justiça do Rio, Luciano Mattos, afirma também que "a investigação independente em curso no MP/RJ não deve se valer de provas produzidas no inquérito da Polícia Civil sobre a apuração vinculada a 28 óbitos". (E.C.)