Argentina rejeita com preocupação restrição

O Conselho Agroindustrial Argentino (CAA) se reuniu com o governo, na sexta-feira passada, para manifestar rejeição e preocupação em relação à medida que determina a restrição das exportações de carne bovina pelo prazo de 30 dias. A informação foi divulgada pela CAA na manhã de ontem. Pelo governo, participou o ministro do Desenvolvimento Produtivo, Matías Kulfas, acompanhado da secretária de Comércio Interno, Paula Español.

Segundo a nota, o encontro aconteceu após o CAA ter afirmado que a restrição dos embarques é contrária a todos os objetivos fixados na agenda de trabalho que a instituição tem com o governo. Entre eles, as políticas estaduais que promovam a produção, agregação de valor e a exportação das cadeias agroindustriais, de forma federal, inclusiva e sustentável.

"Os representantes do CAA compartilham da preocupação com o nível de inflação do país, que atinge a todos e principalmente aos que têm menos renda, mas o caminho das restrições não é o certo", disse a nota.

Como medida, a instituição analisou com as autoridades do governo propostas de longo, médio e curto prazo para corrigir e equilibrar a situação, "promovendo a oferta para atender à procura do mercado interno e externo, permitindo revogar a suspensão o mais brevemente possível", afirmou a entidade.

A nota disse ainda que a entidade fez um acordo com o ministério, para continuar com as reuniões "em busca de soluções que contemplem o interesse geral". (E.C.)