Produção de combustível nuclear tem queda forte

Israel é um dos vários contra instalações nucleares
Israel é um dos vários contra instalações nucleares - FOTO: Reprodução

A produção de combustível nuclear pelo Irã teve queda acentuada nas últimas semanas, afirmou a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), após uma suposta sabotagem em sua principal usina nuclear, a de Natanz, ocorrida em abril e atribuída a Israel.

A queda na produção foi detalhada em relatório confidencial da AIEA, divulgado, ontem, e dá o primeiro insight substancial sobre o impacto do incidente, que cortou o fornecimento de energia em Natanz e destruiu potencialmente centenas de centrífugas, máquinas que enriqueciam urânio.

Israel tem se recusado a comentar o episódio, um dos vários contra instalações nucleares do Irã ao longo dos últimos 18 meses. Teerã acusou Israel na época de orquestrar o ataque para minar o início das conversas em Viena envolvendo os Estados Unidos para restaurar totalmente o acordo nuclear multilateral de 2015.

A produção de urânio enriquecido pelo Irã recuou a estimados 273 quilos no trimestre encerrado em 22 de maio, de 525 quilos no trimestre imediatamente anterior. O incidente ocorreu em 11 de abril.

O estoque total do Irã é agora estimado em 3.241 quilos, cerca de 16 vezes o permitido no acordo de 2015. Especialistas dizem que o volume é suficiente, se purificado a um nível para uso em armas, para até três armas nucleares. (E.C.)