Guedes diz que auxílio deve ser prorrogado

O ministro da Economia, Paulo Guedes, reafirmou ontem que o governo deve renovar o auxílio emergencial por "dois ou três meses". Segundo o ministro, há compreensão de que a pandemia deve ficar "sob controle" nos próximos 60 a 90 dias, com o avanço da vacinação.

Ele citou a previsão de governadores de que a população adulta estará imunizada até o fim de setembro, mas deixou a porta aberta para mais uma renovação em caso de frustração nessas previsões. "Se for necessário estender (o auxílio) para outubro, tudo bem. Mas agora estamos prorrogando por dois ou três meses", disse.

Como mostrou o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), a extensão da ajuda a vulneráveis é uma forma de manter a assistência às famílias em um cenário de risco de agravamento da pandemia de Covid-19 e também evita um "vácuo" até o lançamento da nova política social permanente do governo, que ainda está em fase de preparação. (E.C.)