TCU afasta responsável por 'relatório paralelo'

O Tribunal de Contas da União (TCU) afastou do cargo por 60 dias o servidor que produziu um documento sobre mortes na pandemia do coronavírus. O pedido foi feito pelo corregedor do tribunal, ministro Bruno Dantas, que também sugere proibir o auditor Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques de entrar no prédio do órgão e a abertura de um inquérito policial para investigar sua conduta. Os pedidos foram aceitos pela ministra Ana Arraes.

O levantamento não oficial feito por Marques aponta "supernotificação" de mortes por Covid-19 no país. O relatório foi inserido no sistema do TCU sem que constasse de qualquer processo do órgão. Esse documento foi citado na segunda-feira pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para comprovar sua tese de que cerca de metade dos óbitos registrados como Covid-19 não seriam causados pela doença. O tribunal o desmentiu no mesmo dia.

O corregedor afirma que o afastamento de Marques do cargo é necessário para que o auditor não influencie nas apurações sobre o caso. (E.C.)

Deixe uma resposta

Comentários