Bolsonaro comemora a morte de Lázaro

Bolsonaro parabenizou PMs que participaram da ação
Bolsonaro parabenizou PMs que participaram da ação - FOTO: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) comemorou, nas redes sociais, a morte do "serial killer do DF" Lázaro Barbosa, de 32 anos, que veio a óbito em troca de tiros na manhã de ontem após 20 dias de investigação. "CPF cancelado!", comemorou o presidente. Bolsonaro ainda parabenizou os policiais que participaram da investigação: "Parabéns aos heróis da PM-GO por darem fim ao terror praticado pelo marginal Lázaro", e acrescentou que "o Brasil agradece".

Para Bolsonaro, a morte de Lázaro representa "menos um para amedrontar as famílias do bem". "Suas vítimas, sim, não tiveram uma segunda chance", afirmou o presidente.

Após a divulgação da morte de Lázaro, o termo "CPF cancelado" tomou conta das redes sociais. Nesta manhã, a expressão aparece entre os cinco assuntos mais comentados no Twitter no Brasil e ocupa a 19ª posição nos assuntos mais falados no mundo na rede social. A expressão foi divulgada pelo presidente pela primeira vez numa foto tirada em abril durante visita a Manaus.

A reação pela morte de Lázaro retomou o ânimo do discurso de Bolsonaro sobre combate à criminalidade entre os bolsonaristas, que estava com baixa popularidade em meio às mortes contra a covid-19 no País. No entanto, mesmo com a reação de aprovação de seus apoiadores, a publicação de Bolsonaro comemorando a morte de Lázaro soma comentários que relembrar as mais de 510 mil mortes pela doença no Brasil. "Só o dele não. Mais de 510 mil" CPFs cancelados, pontuou um perfil.

Crimes

Lázaro é acusado de matar, a tiros e facadas, três pessoas na zona rural de Ceilândia no último dia 9 de junho. Os mortos eram Cláudio Vidal de Oliveira, de 48 anos, e os filhos Gustavo Marques Vidal, de 21 anos, e Carlos Eduardo Marques Vidal, de 15 anos.

O foragido também é apontado como responsável pelo sequestro da mulher de Cláudio, Cleonice Marques de Andrade. O corpo dela foi encontrado no dia 12 à beira de um córrego, próximo da casa onde a família morava.

Nascido na cidade baiana de Barra do Mendes, a 530 quilômetros de Salvador, Lázaro já respondeu, na cidade natal, a um processo por homicídio quando tinha 20 anos. Em 2011, já em Ceilândia, ele foi condenado por estupro e roubo com emprego de arma. Ele chegou a ser preso em 2018, em Águas Lindas de Goiás, mas fugiu do encarceramento poucos meses depois.