Secretarias apuram registros de aplicação de vacina vencida

Secretarias de Saúde informaram ontem, apurar registros de aplicação de vacina da AstraZeneca contra a Covid-19 fora da validade. Levantamento feito pelo jornal Folha de S. Paulo aponta cerca de 26 mil notificações de aplicações de doses vencidas. O Ministério da Saúde e os Estados afirmam ter distribuído os lotes dentro do prazo. Já as prefeituras negam injeções irregulares de doses, afirmam haver erros de registro e preveem fazer nova checagem dos dados.

Conforme a Folha de S. Paulo, esses imunizantes, de oito lotes importados AstraZeneca/Oxford, foram usados em 1.532 municípios do país. É possível consultar o lote do imunizante no cartão individual de vacinação. Ao Estadão, o ministério afirmou ter distribuído os produtos na data correta. Disse ainda caber ao gestor local o acompanhamento da validade dos frascos e da aplicação das doses.

Já a data de validade de cada lote é informada pelo próprio Ministério da Saúde em comprovantes de distribuição de vacinas aos Estados. Cruzamento de dados realizado pelo Estadão em ferramenta da organização Base dos Dados, que compila informações do governo federal, aponta cerca de 28 mil registros de aplicações cujas datas ultrapassam o prazo de vencimento dos lotes. A assessoria do Ministério da Saúde, porém, afirmou ao Estadão que pode haver inconsistências nos microdados.

A Secretaria da Saúde paulista disse ter distribuído as doses dentro da validade e informou ter identificado 4.772 possíveis aplicações fora do prazo no sistema. Segundo o Estado, dados da plataforma de monitoramento "sugerem" que imunizantes vencidos foram usados em 315 cidades. A gestão João Doria (PSDB) não descarta a hipótese de parte dos casos, na verdade, se tratar de erro no momento do registro. "A Pasta está informando as prefeituras, que são as responsáveis pela aplicação das vacinas, para realizar busca ativa desta população", disse. (E.C.)