Atos contra prisão de ex-presidente provocam ao menos 32 mortes na África do Sul

Ao menos 32 pessoas morreram na África do Sul em meio a protestos e saques que começaram após a prisão do ex-presidente Jacob Zuma. Mais de 480 pessoas já foram detidas. Foram 26 mortos na província de Kwazulu-Natal, anunciou ontem o primeiro-ministro regional, Sihle Zikalala. Outras seis pessoas perderam a vida em áreas próximas a Johanesburgo, segundo o presidente Cyril Ramaphosa. Ele chamou os saques de "atos oportunistas de criminalidade". (E.C.)