Redução de usuários de ônibus é irreversível e torna subsídio necessário

A drástica redução no número de usuários de transporte público no Brasil torna necessária e irreversível a discussão de subsídios diretos ao setor, indica um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O modelo econômico adotado por grande parte das prefeituras joga todos os custos sobre a tarifa cobrada para os passageiros, o que tende a afastar ainda mais os usuários e criar uma bola de neve rumo ao colapso. O risco é comprometer cada vez mais a qualidade dos serviços prestados à população. O grande debate não é se tem que ter subsídio ou não, mas qual o nível de subsídio. É 10%, 20%, 30%, disse o pesquisador Rafael Pereira, que é especialista em mobilidade urbana. (E.C.)