Campanha alerta para riscos da prematuridade de bebês

O foco da campanha desse ano é a separação zero entre mãe e bebê prematuro. O objetivo é alertar sobre o crescente número de partos prematuros, como preveni-los, e informar a respeito das consequências do nascimento antecipado de bebê para a família e a sociedade. A Coordenadora de Saúde da Criança do estado do Pará, Ana Cristina Guzzo, destaca a necessidade da realização do pré-natal. "Fazer um pré-natal bem acompanhado, bem realizado, bem conduzido, com a garantia dos exames que são preconizados no primeiro, no segundo, no terceiro trimestre dessa gestação", orienta.  

O acompanhamento dos pais na maternidade de atendimento ambulatorial é fundamental segundo a doutora Ana Cristina Guzzo. "A melhor forma que esses pais vão se apropriando dos cuidados dos seus bebês. Nunca deixar de cumprir essas recomendações e a sequência de acompanhamento na parte ambulatorial, porque esse é o ponto fundamental nesse sentido dos cuidados", explica.

 

Os profissionais de saúde destacam que a prima qualidade não ocorre durante a gravidez. Ela acontece muito antes da gestação está relacionada à fatores socioeconômicos, ritmo de trabalho acelerados, isso em conjunto a fatores biológicos podem levar a um nascimento prematuro. A campanha do novembro roxo é realizada durante todo mês, mas concentra suas ações principalmente no dia 17, Dia Mundial da prematuridade.