Covid responde por menos de 1% das internações na rede pública do Rio

Brasília - Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Taguatinga. Em alguns hospitais do Distrito Federal faltam leitos para os pacientes. Foto: Marcello Casal JR/ABr
Brasília - Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Taguatinga. Em alguns hospitais do Distrito Federal faltam leitos para os pacientes. Foto: Marcello Casal JR/ABr - FOTO: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O município do Rio de Janeiro tem hoje apenas 30 pessoas internadas com covid-19 na rede pública (municipal, estadual, federal e outros leitos do Sistema Único de Saúde), segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde. O patamar é o mais baixo desde a quarta semana de março de 2020, ou seja, a segunda semana de medidas de isolamento adotadas em relação à pandemia na cidade.

Além desses internados, outros 124, considerados pacientes pós-covid, continuam hospitalizados. No auge da pandemia, em abril deste ano, os pacientes com covid-19 chegaram a ocupar mais de 1.500 leitos de enfermaria e de UTI no município.

Hoje, os pacientes com covid-19 representam apenas 0,5% do total dos 6.600 leitos ocupados na cidade do Rio de Janeiro. 

A Secretaria Municipal de Saúde informou na manhã de hoje (20), em seu perfil no Twitter, que não havia mais nenhum paciente internado com covid na rede municipal.

“Obviamente tudo isso é graças a você, que fez a sua parte e tomou a primeira e a segunda dose e vai tomar ou já tomou a dose de reforço. Por isso, mais uma vez, pedimos: conhece alguém que ainda não se vacinou? Avisa que hoje é o dia D nos postos”, publicou a Secretaria de Saúde no Twitter.

Campanha

O secretário municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz, participou hoje (20) do lançamento da campanha de Mega Vacinação contra a Covid-19, que pretende reduzir o número de pessoas que ainda não se imunizaram com a segunda dose.

“Faltam quase 600 mil pessoas para tomar a segunda dose no Rio. 380 mil adolescentes já estão aptos a tomar a segunda dose. É muito importante completar a segunda dose”, disse o secretário.

Segundo ele, cerca de um milhão de pessoas já tomaram a dose de reforço. A meta é vacinar toda população da cidade, acima de 12 anos de idade, com a dose de reforço até maio de 2022.