Geral

Peça teatral que discute feminicídio abre temporada em São Paulo

Agência Brasil
30/06/2022 às 20:45

Baseado em casos reais ocorridos na Argentina na década de 80 do século 20, o livro Garotas Mortas, de Selva Almada, serviu de inspiração para uma peça teatral que aborda a questão do feminicídio e fica em cartaz no Teatro Cacilda Becker, em São Paulo, até 24 de julho.

No livro, são contadas três histórias que permanecem sem solução: a de duas adolescentes assassinadas e a de uma mulher, que já era mãe e desapareceu há muitos anos. A escritora argentina usou os três casos para construir uma narrativa de não ficção, em primeira pessoa, para abordar a violência contra a mulher.

A adaptação da narrativa para o teatro é assinada pela coletiva Palabreria, encabeçada pelas artistas pesquisadoras Fernanda Machado, Luiza Romão e Sofia Boito.

A peça apresenta Andrea, adolescente apunhalada no coração enquanto dormia, e Maria Luisa, que foi estuprada e estrangulada, além de Sarita, uma prostituta que tinha um filho e que desapareceu, sem deixar vestígios. Na adaptação, as artistas pensaram em usar uma linguagem de teatro-cinema, fazendo com que palco e cena estejam sempre em diálogo e projeções se mesclem ao ambiente da cena.

Como no livro, o espetáculo teatral é composto por diferentes registros narrativos e, para cada um, foi criada uma linguagem audiovisual, com o uso de imagens de arquivo. Como na escrita, a peça busca também discutir a violência contra a mulher latino-americana. “Nosso intuito é pensar como essas histórias específicas, contadas no livro, revelam uma violência de gênero estrutural, com dimensões continentais, e que continua matando milhares de mulheres”, disseram as autoras da adaptação.

“A característica principal do feminicídio é que são casos que excedem o policial porque não são delitos comuns. Por isso, têm um nome específico: feminicídio, e não homicídio, ou crimes passionais, como se dizia há pouco tempo na Argentina”, disse a escritora Selva Almada em entrevista ao programa Trilha de Letras, da EBC. A entrevista completa, que trata de feminicídio, pode ser assistida no site da TV Brasil.

A peça teatral Garotas Mortas tem entrada gratuita, e os ingressos devem ser retirados uma hora antes do espetáculo. As sessões são às quintas, sextas e sábados, às 21h e aos domingos, às 19h.

Quem Somos

Fundado por Paschoal Thomeu – circulou em 22 de novembro de 1975. Em 1992, o administrador de empresas e publicitário Sidney Antonio de Moraes adquiriu a marca e relançou o jornal em 27 de outubro. O projeto foi ganhando força e, em 23 de abril de 1997, o jornal, até então preto-e-branco e veiculado apenas uma vez por semana, passou a circular colorido e bissemanalmente. Em 18 de maio do mesmo ano, a circulação foi ampliada para trissemanal e, finalmente, em 21 de junho de 1997 concretizou-se o lançamento do Mogi News diário. São inúmeras ações que, aliadas à qualidade editorial e gráfica, consagram o Mogi News como o jornal mais lido e respeitado do Alto Tietê

Entre em contato:

(11) 4735-8000
[email protected]
[email protected]
[email protected]

Av: Japão, 46 - sala 06 - Vila Ipiranga - Centro - Mogi das Cruzes

© 2022 Todos Os Direitos Reservados Ao Portal News