Mortes e contaminações por Covid-19 crescem em janeiro

O uso do álcool em gel continua sendo um aliado para impedir o avanço da doença
O uso do álcool em gel continua sendo um aliado para impedir o avanço da doença - FOTO: Mogi News/Arquivo

Os registros de novos diagnósticos e mortes por coronavírus (Covid-19) cresceram em 43% e 30%, respectivamente, em Mogi das Cruzes. O comparativo se refere aos meses de dezembro do ano passado e janeiro deste ano. No total, a cidade encerrou dezembro com 1.499 novos casos e 69 óbitos, segundo os números do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat).

Já em relação ao mês passado, foram 2.154 novos casos e outras 90 pessoas que não resistiram às complicações do vírus. Por outro lado, uma parte dos infectados não suportam às complicações do vírus. Em Suzano, por exemplo, 986 moradores morreram em dezembro do ano passado, sendo que no mês anterior o número subiu para 1.066 óbitos. Também em dezembro, 21 suzanenses faleceram em decorrência da doença, quantidade que aumentou para 46 no mês passado.

Em Itaquá foram somados 540 novos casos em dezembro e outros 615 em janeiro, no mês passado. Dos 19 óbitos em dezembro, em janeiro o número subiu para 26. Já em Ferraz, foram 529 novos casos em dezembro e 1.275 no mês seguinte. Além disso, as mortes pela doença passaram de sete para 20 no mesmo período.

Por fim, em Poá foram contabilizados 630 casos em dezembro e 761 em janeiro, também houve 17 e dez mortes de um mês ao outro, respectivamente.

As informações do Ministério da Saúde apontam que os principais sintomas da doença são febre, tosse seca, cansaço e a perda do olfato. Há também a possibilidade dos infectados não sentirem nenhum sintoma, estes são os casos de pessoas assintomáticas.

Dentre o grupo de pessoas com mais vulnerabilidade para contrair a Covid-19 estão os idosos com idade igual ou superior a 60 anos; pessoas com doenças cardíacas e pulmonares, como asma e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica; e pessoas com doenças renais ou em diálise.

Brasil e mundo

O levantamento realizado pelo portal Johns Hopkins periodicamente aponta que as cinco regiões em que existem as maiores quantidade de mortes pela Covid-19 são, respectivamente: Estados Unidos (450.887), Brasil (227.563), México (161.240), Índia (154.703) e Reino Unido (109.547).

Já as regiões onde há os números mais altos de diagnósticos positivos da doença são: Estados Unidos (26.561.428), Índia (10.790.183), Brasil (9.339.420), Reino Unido (3.882.972) e Rússia (3.874.830).

Deixe uma resposta

Comentários