Janeiro registra queda de 22% no pagamento de impostos

Diminuição pode ser reflexo da menor circulação de pessoas em razão da Covid
Diminuição pode ser reflexo da menor circulação de pessoas em razão da Covid - FOTO: Arquivo/Mogi News

Os contribuintes de Mogi das Cruzes pagaram R$ 44,8 milhões em janeiro desse ano, o valor é 22,4% menor do que o total desembolsado no mesmo período do ano passado, quando a cidade coletou R$ 57,8 milhões em tributos, multas e outras taxas. Entre as cidades que compõe o G5 - conjunto das cinco cidades mais populosas do Alto Tietê - Mogi alcançou o maior valor, conforme dados disponibilizados pelo Painel Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo.

No acumulado de impostos, taxas, multas e outras contribuições das esferas municipal, estadual e federal, Mogi alcançou o montante de R$ 44.825.340,44 entre o dia 1° e 31 de janeiro deste ano. A soma é inferior ao que foi pago dentro do mesmo mês do ano passado (R$ 57.806.696,84) e pode dar indícios de como a pandemia do coronavírus (Covid-19) afetou o pagamento de impostos.

Com a redução de circulação de pessoas, serviços e mercadorias, alta no desemprego e fim dos estímulos econômicos como o auxílio emergencial, a tributação despencou e neste ano está 22,4% menor do que o registrado em 2020. Outros municípios do G5 também tiveram quedas consideráveis.

A base de dados, disponibilizada e atualizada em tempo real pelo Impostômetro, sugere que, ciente dos valores arrecadados em tributos, a população se engaje na cobrança política, seja na esfera municipal, estadual ou federal, quanto a utilização dos recursos coletados.

Os valores são apurados com base nos dados fornecidos pela Secretaria do Tesouro Nacional, Tribunal de Contas do Estado e informações compartilhadas pelo próprio município que tem, por obrigação, a responsabilidade de divulgar os valores em observância à Lei de Responsabilidade Fiscal.

Cidades

Suzano arrecadou
R$ 23.416.975,06 em janeiro deste ano, teve uma redução de 24,1% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando a cidade informou o montante de R$ 30.867.689,54 pagos à Prefeitura, Estado e União.

Suzano e Mogi ficaram atrás de Itaquaquecetuba, que teve a pior retração percentual do G5. Em janeiro, a tributação de Itaquá alcançou
R$ 16.891.223,28, o acumulado do mês foi 38,3% menor do que o arrecadado em janeiro do ano passado, na ocasião, o município atingiu a porção de
R$ 27.385.977,81.

Em seguida, Ferraz de Vasconcelos alcançou
R$ 5.009.899,82 pagos no mês passado, 14,2% menos do que a contribuição de janeiro de 2020, quando os contribuintes do município acrescentaram
R$ 5.839.116,82 aos cofres públicos das três esferas de governo.

Por fim, Poá esteve na contramão do números registrados por suas cidades vizinhas e registrou aumento de 6,9% no pagamento de impostos. Neste ano, a tributação foi de R$ 27.614.189,57 e em janeiro de 2020 foi de
R$ 25.829.912,12.

*Texto supervisionado pelo editor

 

COMPARAçãO 2020 X 2021

Janeiro de 2020Janeiro de 2021%
Mogi das CruzesR$ 57.806.696,84R$ 44.825.340,44-22,4
ItaquaquecetubaR$ 27.385.977,81R$ 16.891.223,28-38,3
SuzanoR$ 30.867.689,54R$ 23.416.975,06-24,1
Ferraz de VasconcelosR$ 5.839.116,82R$ 5.009.899,82-14,2
PoáR$ 25.829.912,12R$ 27.614.189,576,9

Fonte: Impostômetro 

Deixe uma resposta

Comentários