Apesar do aumento de casos, letalidade cai em Mogi

Alteração entre um mês e outro ficou em 0,5 ponto percentual, aponta levantamento
Alteração entre um mês e outro ficou em 0,5 ponto percentual, aponta levantamento - FOTO: Arquivo/Mogi News

O índice de letalidade a cada mil infectados pelo coronavírus (Covid-19) em Mogi das Cruzes obteve uma pequena queda de dezembro do ano anterior para janeiro deste ano. A cidade registrou 46 falecimentos para cada mil moradores contaminados em dezembro, considerando que foram somados 1.499 novos casos e 69 mortes.

No mês seguinte, o índice caiu para 41,7, quando o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) somou 90 óbitos e 2.154 novos diagnósticos positivos da doença viral: uma queda de 4.4 pontos percentuais

Entre as cinco cidades mais populosas da região houve um pequeno aumento nas mortes registradas a cada mil infectados. Juntas, Mogi, Itaquaquecetuba, Suzano, Ferraz de Vasconcelos e Poá registraram 32,2 falecimentos para cada mil moradores infectados em dezembro, considerando que foram somados 4.184 novos casos e 135 mortes.

Apesar disso, no mês seguinte, outros 192 moradores das cinco cidades faleceram, enquanto 5.871 receberam diagnósticos positivos. O número resultou no índice de 32,7 mortes para cada mil pessoas contaminadas.

Isto é, em janeiro o índice de letalidade cresceu 0,5 pontos percentuais no comparativo com o mês de dezembro. Em Itaquá, com 540 casos e 19 óbitos pela doença viral e respiratória no mês retrasado, o índice de letalidade foi de 31,5. No mês seguinte, a taxa estava em 42,2 a cada mil moradores infectados.

Já o município de Suzano, fechou o mês de dezembro com um índice de letalidade em 21,2. Isso porque, houve 986 novos moradores que não resistiram às complicações do novo vírus e faleceram, além de 21 novos infectados. No mês seguinte, em janeiro, o índice cresceu para 43,1 óbitos a cada mil pessoas em consequência dos 46 falecimentos e 1.066 mortes.

Outra cidade que obteve acréscimo no índice de letalidade foi Ferraz, em que a taxa aumentou de 13,2 para 15,6 a cada mil pessoas contaminadas com a doença. Em dezembro houve sete mortes pelo vírus e outros 529 novos diagnósticos positivos. Um mês depois, os números passaram para 1.275 casos e 20 mortes.

Em Poá, onde o índice passou de 26,9 para 13,1 mortes a cada mil infectados. Em dezembro o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê somou 17 mortes e 630 casos. A quantidade passou para 761 casos e dez novas mortes.