Mogi mantém estudos para instalar Centro Dia para PCDs

Espaço irá proporcionar ações para a qualificação de pessoas com deficiência
Espaço irá proporcionar ações para a qualificação de pessoas com deficiência - FOTO: Divulgação

A Prefeitura de Mogi das Cruzes informou anteontem que mantém os estudos para a implantação de um Centro Dia da Pessoa com Deficiência na cidade. O projeto, realizado em parceria com o governo federal, pretende estabelecer um local para a valorização e a qualificação de pessoas com deficiência (PCDs) no município.

O projeto foi anunciado pela primeira vez em maio de 2020, com o aporte de
R$ 740 mil por parte do Ministério da Justiça e Segurança, captado pela gestão da Pasta de Assistência Social da época. O repasse foi aprovado pela Câmara de Vereadores na segunda quinzena de maio e, no fim daquele mês, a gestão municipal apresentou o projeto de construção, com previsão para licitação no segundo semestre daquele ano.

A Secretaria Municipal de Assistência Social informou, por nota, que a atual administração mantém os estudos de viabilidade de implantação do projeto. "A fase atual é de contato com o Ministério da Justiça e Segurança para o detalhamento do projeto e negociação de prazos", informou por nota. Até o momento, não foram mencionados mais detalhes sobre o andamento da obra.

O Centro Dia da Pessoa com Deficiência, segundo a atual gestão, viria a reforçar o trabalho já desenvolvido no município voltado à valorização e bem-estar dos PCDs. Dentre eles, estão o Complexo Integrado de Atendimento à Saúde (Cias), em construção no bairro do Rodeio, que contará com uma Clínica da Pessoa com Deficiência, voltada para casos de deficiência física, visual, intelectual, dentre outras.

Durante a apresentação do projeto foi citado que Mogi era um dos três em todo o Estado e dos 46 no país a serem contemplados, dentre mais de 1,3 mil municípios que encaminharam propostas ao governo federal para a parceria voltada à implantação do centro. Seu funcionamento, semelhante ao Centro Dia do Idoso realizado em parceria com o governo do Estado, promove atividades no período diurno para PCDs voltadas à qualificação e o bem-estar, além de promover a integração entre os indivíduos e a comunidade.

Rede de apoio

Outras unidades também incluídas pela municipalidade como integrantes da rede de atenção à pessoa com deficiência são a Escola Municipal de Educação Especial (Emesp) Professor Jovita Franco Arouche; a Residência Inclusiva na Ponte Grande, que promove acolhimento a PCDs; a unidade local da Associação de Assistência à Criança com Deficiência (AACD); a UnicaFisio, que promove atendimento completo de fisioterapia e reabilitação, além de fornecer Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista, para a prioridade nos atendimentos aos serviços públicos e privados no município.

Dentre as entidades subvencionadas pela administração que prestam atendimento à população PCD no município, estão a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Associação Social para a Educação e Tratamento de Excepcionais (Asete), Associação de Pais e Amigos de Portadores de Fissuras Lábio-Palatais (Apafi), Associação de Renais Crônicos do Alto Tietê (Arcat), Centro de Reabilitação Joyce de Mello Yamato (Cejoy) e Grupo Alto Tietê de Esclerose Múltipla (Gatem).

 

Deixe uma resposta

Comentários