Câmara completa um mês de trabalho com apoio a Ashiuchi

Leandrinho diz que Câmara batalhará pela cidade
Leandrinho diz que Câmara batalhará pela cidade - FOTO: Ricardo Bittner/Câmara de Suzano

A 18ª Legislatura da Câmara de Vereadores de Suzano chega ao seu primeiro mês de sessões e em seu segundo mês de funcionamento. Com uma composição atípica dentro do Alto Tietê, seus integrantes falam sobre o trabalho em 2021.

A composição do novo Parlamento se destacou nas eleições de 2020 como sendo um dos raros casos de apoio de todos os 19 integrantes ao prefeito Rodrigo Ashiuchi (PL), eleito com mais de 110 mil votos no primeiro turno. A renovação da Casa de Leis também foi destaque, com uma taxa de 52% de vereadores em seu primeiro mandato.

Um dos destaques do primeiro mês foi na sessão da quarta-feira da semana retrasada, quando os vereadores aprovaram a abertura de um crédito adicional de aproximadamente R$ 9,4 milhões ao orçamento do município para 2021, sob a justificativa de um "excesso de arrecadação e superávit financeiro", conforme apresentado na sessão. Segundo a presidência da Câmara, Leandro Alves de Faria (PL), o Leandrinho, a verba veio do pagamento de impostos em atraso ao Tesouro Municipal.

Nos trilhos

Nas últimas três sessões, a Câmara de Suzano já produziu 357 proposituras, entre indicações, moções, requerimentos, projetos de Lei e projetos de decreto legislativo, sendo aprovados três projetos de Lei, um projeto de decreto legislativo, um projeto de lei complementar e uma moção, entre outros. As matérias tratam do uso de proteção facial dentro de escolas municipais e a mudança do Código de Posturas do município que passa a incluir brigas e discussões em ambiente público ou particular como perturbação do sossego.

Segundo o presidente do Legislativo, o andamento dos trabalhos da casa está sendo positivo nesta primeira etapa. "Os parlamentares sabem da importância e da responsabilidade dos mandatos e todos estão diariamente batalhando pela cidade", ressaltou.

Leandrinho também reforçou que a principal diferença na atual conjuntura é a financeira, onde o município tem uma redução de 1% nos repasses feitos pelo oder Executivo à Câmara, conforme a Constituição Federal, tendo um orçamento anual de R$ 25,3 milhões. "No entanto, isso não impedirá de continuarmos nosso trabalho, que é lutar por melhorias para Suzano em parceria com o nosso prefeito. A Câmara apoiará o Executivo em todas as ações que tiverem o objetivo de manter a cidade no trilho do desenvolvimento", ressaltou.

VETERANOS E NOVATOS REVELAM EXPECTATIVAS

O trabalho desenvolvido pelos parlamentares é percebido por diferentes perspectivas nos gabinetes da Câmara de Vereadores suzanense. Para Gerice Lione (PL), que foi a primeira mulher a comandar o Legislativo na última legislatura, vê com naturalidade o trabalho desenvolvido. "Nossa atuação como representantes da população não para e nem vai parar. O que importa é a batalha diária por melhorias para a nossa cidade. A população de Suzano pode ter a certeza que vamos seguir na luta pelo desenvolvimento do nosso município", afirmou.

Já Antonio Rafael Morgado (PDT), o Toninho Morgado, disse que a experiência entre um mandato e outro pode ser notada no trabalho desenvolvido. "O primeiro mandato é algo novo e inesperado, há pouca experiência e muita expectativa. É necessário compreender a elaboração e os trâmites de documentos, do andamento dos trabalhos na Casa de Leis e do Regimento Interno, bem como da Lei Orgânica do município".

Para Marcel Pereira da Silva (PTB), o Marcel da ONG, que está em seu primeiro mandato, o dever como parlamentar se somou ao trabalho realizado dentro da causa animal. "Já estou trabalhando dentro das minhas propostas, inclusive protocolei meu primeiro projeto de Lei e trouxe uma emenda de R$ 100 mil para o município", concluiu.

Deixe uma resposta

Comentários