Santa Casa de Mogi promete retomar as cirurgias eletivas

Retorno do ambulatório de ortopedia está previsto para esta semana na Santa Casa
Retorno do ambulatório de ortopedia está previsto para esta semana na Santa Casa - FOTO: Mogi News/Arquivo

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19), após quase um ano, alterou o cotidiano e os hábitos da população, mas teve um outro impacto no dia a dia das pessoas: a rotina de exames ambulatoriais e cirurgias eletivas na rede pública de saúde, que em uma das categorias pode estar ensaiando um retorno à normalidade a partir desta semana.

Segundo a Santa Casa de Misericórdia de Mogi das Cruzes, está programado para esta semana o retorno das cirurgias eletivas - ou seja, as intervenções que não são classificadas como de urgência, emergência ou para atendimento de traumas. Inicialmente, estão programadas para serem realizadas as cirurgias para retirada de sínteses, como pinos, placas, parafusos e outros instrumentos usados na ortopedia para a correção e recuperação adequada de ossos.

Atualmente, a Santa Casa possui uma fila de 914 pacientes que aguardam a realização de procedimentos cirúrgicos em ortopedia. "Estas cirurgias serão programadas para não interferir na programação das demais", adiantou o hospital por nota.

A Secretaria Municipal de Saúde, por sua vez, explicou que a rede municipal de saúde segue realizando normalmente os exames junto à população. No entanto, as cirurgias eletivas continuam suspensas, devido ao decreto do governo do Estado pela segunda onda de contaminação da Covid-19. "O Hospital Municipal de Mogi das Cruzes se mantém como principal referência de atendimento da Covid-19 no Alto Tietê e, no momento, não tem previsão para a retomada das cirurgias eletivas", informou a Pasta em nota.

A secretaria também explicou que faz o encaminhamento por meio da Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross), para avaliação com o médico cirurgião na especialidade necessária. "A partir daí, cabe ao profissional decidir ou não pelo procedimento cirúrgico. Portanto, a fila de espera por cirurgias eletivas não fica com a secretaria", esclareceu.

A administração, ao ser questionada sobre a fila de procedimentos a serem realizados na rede municipal, informou que cada unidade possui suas filas internas. "As demandas estão sendo levantadas pela Secretaria Municipal de Saúde", concluiu.

As cirurgias eletivas foram suspensas no início da pandemia, como uma medida do governo do Estado para garantir a oferta de leitos aos pacientes que apresentaram a síndrome respiratória associada ao novo coronavírus.

No final de agosto do ano passado, com a queda no número de casos, a Secretaria de Estado da Saúde chegou a avaliar a retomada das cirurgias na rede pública. No entanto, no final de novembro de 2020, mais uma vez os procedimentos foram interrompidos pelo início da segunda onda de contaminação.

Deixe uma resposta

Comentários