Integração tarifária ainda está no papel

O projeto de integração entre trem e ônibus em Mogi das Cruzes segue sem previsão para sair do papel. Aguardado pela população pela facilidade e economia financeira no transporte, a promessa de integração já se arrasta por anos e poderá continuar assim por mais um longo tempo. Dentro dos planos a serem executados pela Prefeitura durante a atual gestão, novos diálogos com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) deverão ser promovidos nos próximos meses para resgatar a ideia.

Considerada pela Secretaria Municipal de Transportes como medida importante para a população mogiana que utiliza o transporte coletivo diariamente, a integração tarifária representará uma grande economia de recursos para os usuários do serviço, além de fornecer maior praticidade e conforto nos acessos.

"A Prefeitura irá desenvolver conversas e tratativas com a CPTM e com a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo), buscando equalizar soluções para que o benefício da integração entre o transporte coletivo municipal, os trens e os ônibus metropolitanos seja efetivado", declarou a Pasta em nota ao Grupo Mogi News.

Em 2019, conversas preliminares sobre o tema entre a companhia e a Prefeitura, já haviam começado. Na ocasião chegou-se a estimar que integração funcionasse em 2020, o que não ocorreu. Agora, em pleno processo de licitação para concessão à iniciativa privada das estações Jundiapeba, Mogi das Cruzes e Estudantes, a possibilidade é de que a tão aguardada integração seja adiada por mais algum tempo.

*Texto supervisionado pelo editor.