Reavaliação poderá decretar lockdown em todo Alto Tietê

Primeira vez que os comércio fechou as portas por causa da Covid foi em março
Primeira vez que os comércio fechou as portas por causa da Covid foi em março - FOTO: Mogi News/Arquivo

O Alto Tietê, em conjunto com todo o Estado de São Paulo, poderá entrar em lockdown diário entre às 22 e 5 horas. A mudança poderá ser oficializada, hoje, por meio de uma reavaliação extraordinária do Plano São Paulo. A nova reclassificação surge com caráter de emergência devido aos altos índices de contaminação, internação e mortes decorrentes da pandemia do coronavírus (Covid-19).

Ainda sem detalhes sobre as possíveis modificações, a região vive um clima de suspense enquanto aguarda a possibilidade de ser reclassificada para uma fase inédita no plano do governo paulista de combate ao vírus. Desta vez, conforme defendido em uma reunião do Centro de Contingência realizada ontem, poderá recair sobre todo o Estado o confinamento máximo, popularmente conhecido pela expressão em inglês lockdown.

Os novos protocolos deverão ser aplicado entre às 22 e 5 horas, de modo similar ao que já foi praticado há algumas semanas, quando durante o dia, algumas regiões se encontravam na fase laranja do Plano SP e pela noite eram automaticamente reclassificadas para a fase vermelha, a mais restritiva do plano.

No entanto, o lockdown deverá ser ainda mais severo do que a fase vermelha, uma amostra de como as novas medidas deverão funcionar por aqui já pôde ser observado em Araraquara, município do interior paulista que, desde a segunda-feira, deu inicio ao confinamento máximo para reduzir a circulação da população de forma drástica e mitigar a disseminação da variante do vírus durante uma ocupação que alcança 100% de leitos. Cidadãos flagrados nas ruas, exceto para trabalhar ou para atendimento médico e compra de medicamentos, foram multados. Até mesmo supermercados tiveram que fechar as portas e funcionar apenas por delivery. 

Ocupação

No Alto Tietê, os índices de ocupação dos leitos se aproximam do informado pelo município do interior que foi bloqueado. No sistema de saúde de Mogi das Cruzes, responsável pelo atendimento de várias cidades vizinhas, a média de ocupações dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Municipal já alcança os 80%.

No conjunto, os números são ainda mais preocupantes. Desde o início da pandemia no Estado, São Paulo registrou nessa semana o maior número de pessoas em UTI com Covid-19. Só na segunda-feira passada foram 1.667 novas internações no Estado, um recorde que confirma a potência da segunda onda da pandemia.

*Texto supervisionado pelo editor.

 

Deixe uma resposta

Comentários