Inauguração da DDM de Itaquá será em 8 de março

Imóvel já está pronto para receber a Delegacia de Defesa da Mulher de Itaquá
Imóvel já está pronto para receber a Delegacia de Defesa da Mulher de Itaquá - FOTO: Osvaldo Birke/AIPMI

A Secretaria da Mulher de Itaquaquecetuba, por meio da secretária Hadla Issa, recebeu a Polícia Civil para a realização das últimas vistorias e acertos de detalhes para a inauguração da Delegacia da Defesa da Mulher (DDM), em Itaquá. O encontro aconteceu na última semana e contou ainda, com a presença do prefeito Eduardo Boigues (PP) e a primeira-dama Mileide Queroz, além de Elvis Cristiano da Silva, investigador de polícia chefe da Delegacia Seccional de Polícia de Mogi das Cruzes e Roselaine da Silva Francisco, escrivã de polícia chefe também da Seccional. A inauguração está prevista para o dia 8 de março. A DDM será instalada na avenida Vereador João Barbosa de Moraes, 448, Vila Zeferina

A data tem grande significado, pois é mundialmente conhecida como o Dia Internacional da Mulher, que marca a luta por melhores condições de trabalho e igualdade. Atualmente, quem faz o acolhimento das vítimas de violência doméstica é a Secretaria da Mulher, que as recebe e realiza a triagem, orientando-as. Quando o caso requer registro de Boletim de Ocorrência, as mesmas são encaminhadas para a delegacia.

Para o prefeito Eduardo Boigues, a Delegacia da Defesa da Mulher é uma grande conquista para a cidade: "A Delegacia da Mulher vai dar coragem e suporte para as mulheres denunciarem as agressões, sem contar que a recepção por outra mulher encoraja e diminui o sentimento de vergonha", pontuou Boigues.

Atualmente, a Secretaria da Mulher atende três casos por dia, em média, mas a expectativa é de que este número suba consideravelmente para cem inquéritos por mês, quando a delegacia estiver funcionando. O atendimento será feito pela delegada Luciana Amat.

"Muitas mulheres ainda não têm informação sobre os direitos em relação à violência doméstica, mas a Delegacia da Defesa da Mulher vai contribuir muito na diminuição de casos", relatou a secretária da Mulher, Hadla Issa.

Muitas mulheres ainda sofrem diversos tipos de violência como física, moral, patrimonial e sexual. Para denúncias, o cidadão pode ligar no 181, que não será identificado, 153, que é contato da Guarda Civil Municipal (GCM) ou 190 para a Polícia Militar.