Homens morrem mais por Covid, mas mulheres lideram infecções

Doenças ligadas à cardiopatia são mais frequentes entre as vítimas do coronavírus
Doenças ligadas à cardiopatia são mais frequentes entre as vítimas do coronavírus - FOTO: Divulgação

A maior parte dos óbitos pelo novo coronavírus nas cidades do Alto Tietê continua sendo de homens e portadores de cardiopatia. No entanto, o número de contaminações pelo vírus é mais frequente entre as mulheres, segundo os dados da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade). Em Mogi das Cruzes, por exemplo, homens com idade entre 70 e 79 anos falecem mais por complicações da doença.

O levantamento diário apontou que das 707 mortes pela doença registradas em Mogi, notificadas até a tarde de quarta-feira no município, 408 eram homens e 299, mulheres. Isso significa que somente os óbitos de homens correspondem a 57,7% do total.

Apesar disto, desde o início da pandemia, em março do ano passado, a contaminação do vírus nas mulheres é maior. Dos 15.319 diagnósticos positivos da doença, 8.230 são de mulheres, o que corresponde ao índice de 53,7%. Já em relação aos homens, foram somadas 7.075 confirmações do vírus, ou 46,3%.

Não somente em relação às mortes, mas também aos casos da Covid-19, a cardiopatia é a comorbidade que torna as pessoas mais vulneráveis. Nos falecimentos pela nova doença viral, a cardiopatia esteve presente em 51,5% dos mogianos que não resistiram às complicações do coronavírus.

O termo cardiopatia abrange todas as doenças que acometem o coração, sendo que alguns dos tipos mais comuns são cardiopatia congênita, doenças no miocárdio, infecção no coração, cardiopatia de válvula, cardiopatia hipertensiva e a cardiopatia isquêmica. Assim como em Mogi, a cidade mais populosa do G5 da região, a maior parte dos falecimentos pela Covid-19 é de homens e portadores de cardiopatia.

Em Itaquaquecetuba, dos 416 falecimentos, 177 eram mulheres (42,5%) e outros 239 eram homens (57,5%), a maior parte dos vitimados pela Covid-19. Neste caso, a faixa etária de maior incidência das mortes é dos 60 aos 69 anos. O levantamento do Seade mostrou ainda que dos 7.639 diagnósticos positivos do coronavírus, 3.954 são mulheres e 3.657, homens.

Já em Suzano, dos 363 falecimentos registrados até a tarde de anteontem, 197 eram homens (54,3%) e 166 (45,7%), mulheres. Os falecimentos são mais recorrentes de munícipes entre 70 e 79 anos. Por outro lado, dos 10.104 casos, 5.467 são diagnósticos de mulheres e 4.620 de homens.

Ainda de acordo com a Fundação Seade, dos 185 óbitos de Ferraz de Vasconcelos, 103 eram homens (55,7%) e 82 mulheres (44,3%) e a maior quantidade de mortos tinha entre 60 e 69 anos. Entretanto, 3.357 do total de 5.844 casos são de mulheres, a maior parte deles.

Por fim, no município de Poá, dos 173 mortos pela Covid-19, enquanto 71 eram mulheres (41,1%) e outros 102, homens (58,9%). A maior parte das vítimas tinha entre 60 e 69 anos. Na cidade, por outro lado, os casos também são registrados com maior frequência nas mulheres. Isso porque, dos 4.060 casos, 2.233 são de mulheres e 1.815, de homens.

Deixe uma resposta

Comentários