Distrito do Taboão segue sem definição sobre acesso

O pré-projeto para a implantação de uma via marginal que faça a ligação do distrito do Taboão, em Mogi das Cruzes, com a rodovia Ayrton Senna (SP-70) segue sem definições por parte da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). O pedido foi apresentado pela população ao governo do Estado há aproximadamente seis meses, e é uma demanda de décadas de moradores e empresários estabelecidos na região.

A proposta de uma via que facilite o trânsito de veículos e caminhões no distrito industrial vem sendo uma demanda da Associação Gestora do Distrito do Taboão (Agestab) proposta há mais de uma década, com o objetivo de auxiliar no desenvolvimento local, facilitando a logística no trânsito de matérias-primas e de produtos industrializados na região.

Segundo a Agestab, desde a apresentação do pré-projeto não houve mais manifestações por parte da Artesp. "Na oportunidade, alguns importantes apontamentos foram feitos, principalmente sobre a necessidade de criação de marginais em ambos os sentidos da pista. Desde a reunião em agosto, porém, a entidade não recebeu mais nenhuma informação sobre o andamento do projeto", pronunciou-se em nota.

Questionada, a Artesp informou que o projeto "está tramitando nas áreas técnicas para análise de viabilidade". No entanto, não foi apresentado nenhum prazo para a conclusão dos estudos ou alguma previsão de parecer sobre o tema.

O projeto de instalação da alça de acesso do distrito industrial do Taboão à rodovia Ayrton Senna esteve dentro da pauta de trabalho do deputado estadual Marcos Damasio (PL). "Nossa articulação continua junto ao governo estadual. Não é uma obra barata, na qual se prevê investimento de cerca de R$ 100 milhões e sabemos que neste momento o governo está priorizando as ações justamente pela falta de recursos causados pela pandemia. Esta pauta continua, mas sabemos que teremos de trabalhar ainda mais para conseguir tirá-la do papel", explicou o deputado.

Deixe uma resposta

Comentários