Conselho do Idoso alerta para prazo da 2ª dose

O Conselho Municipal do Idoso teme que o prazo limite para aplicação da segunda dose da vacina contra o coronavírus (Covid-19) em pessoas com 90 anos extrapole o intervalo máximo em Mogi das Cruzes. A entidade reclamou da organização da campanha de imunização no município que tem gerado aglomerações e longas filas de espera. A Prefeitura estima que a vacinação do grupo vacinado no começo de fevereiro ocorra no próximo sábado.

A aplicação da segunda dose da vacina nos idosos com 90 anos ou mais, assim como trabalhadores da área Saúde que começaram a ser imunizados entre os dias 6 e 7 de fevereiro, deverá ser realizada em cima do prazo limite. Isso porque o intervalo de aplicação entre a primeira e a segunda dose é calculado entre 14 e 28 dias considerando o inicio da vacinação. Outro fator agravante que preocupa a vice presidente do Conselho Municipal do Idoso, Juraci Fernandes de Almeida, é a diferença de fabricantes do imunizante.

"Consultei a Secretaria Municipal de Saúde várias vezes pedindo informações, e nos disseram que as doses que o município recebeu são de outra marca, diferente da vacina que os idosos receberam nas primeiras semanas do mês passado e não podem ser administradas como segunda dose. E agora, como fica?", interrogou Juraci.

A representante do conselho também lamentou a falta de informação sobre a campanha e criticou uma publicação do prefeito Caio Cunha (Podemos) nas redes sociais. De acordo com Juraci, na mensagem compartilhada nas redes, o chefe do Executivo mogiano convocou os idosos para vacinação sem que houvesse doses suficientes para todos. O chamado acabou gerando aglomerações e filas inúteis de espera.

"Os responsáveis pela imunização em Mogi precisam entender que o público em foco precisa de cuidados especiais e não pode e nem aguenta suportar horas de espera sentados nos carros ou em pé em filas sob o sol. Os idosos estão indo esperançosos atrás da vacinação, que para muitos é a salvação, e quando chegam lá, por conta de desinformação dos próprios organizados, descobrem que não existem doses para todos. É um desrespeito muito grande, além de uma exposição desnecessária ao vírus, que como sabemos é fatal para esse grupo", lamentou a vice presidente. A Prefeitura de Mogi divulgou o esquema de vacinação para esta semana, inclusive, com a realização de dois drive-thru.

* texto revisado pelo editor