Capacidade dos leitos de UTI está perto do limite

Taxa de ocupação nos leitos da região superou 90%
Taxa de ocupação nos leitos da região superou 90% - FOTO: Divulgação

A ocupação de leitos reservados para tratamento de pacientes com coronavírus (Covid-19) segue aumentando e se aproxima da capacidade máxima. Nos hospitais estaduais que atendem o Alto Tietê, a taxa de ocupação já superou 90% e nas unidades de Saúde sob responsabilidade dos municípios, a situação também é grave. Para evitar o colapso do sistema, a região entrará, em conjunto com a Grande São Paulo, na fase vermelha do Plano SP enquanto aguarda a ampliação de leitos.

A Secretaria de Estado da Saúde informou que ontem o Hospital Luzia de Pinho Melo em Mogi das Cruzes alcançou uma lotação de 91% dos seus 31 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) disponíveis para pacientes com sintomas da Covid-19.

Os leitos de enfermaria, utilizados por pacientes com sintomas menos graves do vírus, também se encontram perto da capacidade máxima de ocupação, 90% dos 46 leitos no local estavam indisponíveis. Na quarta-feira passada a unidade mogiana registrava 88% de ocupação na UTI e 58% da enfermaria.

Também de responsabilidade do Estado, o Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos se aproxima do colapso, todos os 26 leitos de UTI se encontram ocupados e os 12 de enfermaria apresentam ocupação de 90%. Há menos de dois dias, restavam vagas de UTI no hospital, conforme publicação recente do grupo Mogi News. Na ocasião, a lotação era de 88%.

O Santa Marcelina de Itaquaquecetuba também opera com ocupação de acima dos 90% nos dez leitos de UTI e 80% na ala de enfermaria.

* Texto revisado pelo editor