Ocupação de leitos de UTI Covid em Mogi chega a 96%

Vagas de Enfermaria e de UTI estavam lotados
Vagas de Enfermaria e de UTI estavam lotados - FOTO: Mogi News/Arquivo

A soma dos leitos exclusivos para coronavírus (Covid-19) na rede estadual, privada e municipal de Mogi das Cruzes já supera os 90% de ocupação. Tanto as alas de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) quanto as de Enfermaria se aproximaram do colapso

Nos leitos reservados para tratamento de pacientes com Covid-19 do Hospital Municipal, Santa Casa, Luzia de Pinho Melo, Hospital Ipiranga, Hospital Santana, Biocor e Mogimater a ocupação da UTI era de 96% e na Enfermaria a taxa é de 90% até ontem.

No total, as unidades somam 116 leitos de UTI dos quais apenas cinco estavam livres e na Enfermaria, dos 167 leitos, só 16 estavam desocupados. Em caso de necessidade, o mogiano também deverá encontrar ocupação no limite em alguns hospitais de cidades vizinhas.

No Hospital Regional Dr. Osíris Florindo Coelho, de Ferraz, a ocupação é de 100% nos 26 leitos de UTI. Em Itaquaquecetuba, no Santa Marcelina os 20 leitos de Enfermaria do hospital também se encontram no limite, na UTI a situação não é animadora e a ocupação dos dez leitos locais supera os 90%. No próprio Hospital Luzia de Pinho Melo em Mogi ambas alas hospitalares se encontravam com 91% de ocupação até ontem.

Nas redes municipais a situação também é de calamidade. Em Suzano, os leitos de Enfermaria, semi-intensiva e UTI apresentaram um percentual de 64% segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

Em Itaquá a ocupação da recém inaugurada Central da Covid é de 88% e restam dois leitos. Em Poá a situação também é grave, a ocupação dos dois leitos de UTI disponíveis no município era de 100% e os leitos de Enfermaria se encontravam em 80%.

*Texto supervisionado pelo editor