Moção pede adiamento da primeira parcela do IPTU

Furlan pediu para adiar IPTU e taxa de licença
Furlan pediu para adiar IPTU e taxa de licença - FOTO: Divulgação

A Câmara de Vereadores de Mogi das Cruzes aprovou na sessão de ontem uma moção pedindo ao prefeito Caio Cunha (Pode) o adiamento da cobrança da primeira parcela do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), bem como a flexibilização do pagamento da taxa de licença do município e a cobrança por parte do Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) dos imóveis comerciais fechados pela Fase Vermelha municipal, iniciada na semana passada.

O pedido, protocolado pelo vereador Marcos Furlan (DEM), leva em consideração a possibilidade de aplicação até o final do mês das limitações de funcionamento do comércio não-essencial na cidade, bem como o seu impacto na arrecadação de comerciantes, profissionais liberais, microempreendedores e outros setores afetados pela legislação.

Segundo o autor da proposta de moção, o pedido de adiamento não é algo novo. "No ano passado, em condições semelhantes, apresentamos o mesmo pedido aqui na Câmara Municipal, dada a excepcionalidade. Não é, portanto, algo novo e inédito nesta Casa. Acredito que meus colegas irão concordar comigo", concluiu o vereador, antes da moção ser aprovada.

O cuidado à população durante o auge da segunda onda da pandemia foi tema central nos destaques das indicações na sessão de ontem. Uma das indicações apresentadas foi a criação de um auxílio emergencial para trabalhadores informais, microempreendedores, autônomos e desempregados, por Inês Paz (PSOL).

O vereador Marcos Furlan pediu destaque ao pedido de suspensão da cobrança da Zona Azul na Fase Vermelha. (A.D)