UTI para Covid-19 em Mogi chega a 98% de ocupação

Hospital Luzia é referência para casos de covid
Hospital Luzia é referência para casos de covid - FOTO: Emanuel Aquilera

Os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para internação de pacientes com coronavírus (Covid-19) em Mogi das Cruzes estão com ocupação de 98%. De acordo com a Prefeitura, a soma das vagas ofertadas por hospitais estaduais, municipais e privados que atendem o município beira o colapso. A situação dos leitos de enfermaria também é preocupante, e até a noite de ontem marcava 92%.

As mais recentes atualizações com índices de ocupação dos leitos para tratamento de pacientes com sintomas da Covid-19 em Mogi apontam para um cenário de colapso do sistema de Saúde. De acordo com o boletim dos hospitais já não há mais vagas em algumas unidades e os que ainda possuem trabalham com a capacidade próxima do limite limite.

Dos 131 leitos de UTI das sete unidades de Saúde que atendem Mogi, restavam apenas três vagas desocupadas. Já os leitos de enfermaria totalizam 181 vagas das quais apenas 14 estavam disponíveis até o último levantamento. Os números informados levam em conta as internações registradas pelos seguintes hospitais: Hospital Municipal, Santa Casa, Luzia de Pinho Melo, Hospital Ipiranga, Hospital Santana, Biocor e Mogimater.

Na rede estadual dos municípios vizinhos os índices de ocupação são ainda mais graves. Ontem o Hospital Doutor Osiris Florindo Coelho em Ferraz de Vasconcelos informou que os leitos de UTI quanto enfermaria estavam completamente lotados. O Hospital Santa Marcelina de Itaquaquecetuba atingiu 100% de ocupação..

* Texto revisado pelo editor