Sistema de saúde do Alto Tietê entra em colapso

Os sistemas de Saúde das cidades mais populosas do Alto Tietê entraram em colapso ontem. De acordo com levantamento divulgado pelas prefeituras, a ocupação dos leitos beira o limite e em algumas cidades como Mogi das Cruzes responsáveis pelo atendimento de diversos municípios vizinhos, já não há mais leitos disponíveis. Os pacientes com sintomas graves do coronavírus (Covid-19) agora dependem da oscilação na taxa de ocupação para conseguir uma vaga enquanto a região ainda aguarda pela instalação de novos leitos.

Em situação mais grave, Os sete hospitais mogianos que ofertam vagas exclusivas já não podem mais receber novos pacientes. Em números gerais, a ocupação de 100% dos leitos se traduz em 136 pessoas sendo tratadas em leitos de UTI e 181 reabilitadas em leitos de enfermaria. A totalidade de leitos leva em conta a soma de vagas ofertadas nas seguintes unidades: Hospital Municipal, Santa Casa, Luzia de Pinho Melo, Hospital Ipiranga, Hospital Santana, Biocor e Mogimater.

Em Itaquaquecetuba a situação também é preocupante, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a ocupação dos leitos reservados para tratamento da Covid-19 é de 98% e cinco pessoas aguardam por uma vaga via Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (Cross). Já em Suzano, a Prefeitura informou que a taxa de ocupação dos leitos semi-intensivos é de 116,66% (14 de 12 leitos), na UTI é 65% (13 de 20 leitos) e na enfermaria é 56,66% (17 de 30 leitos).

Também ofertando leitos pela rede municipal, Poá comunicou que os dois leitos de emergência do município estão ocupados e a enfermaria, com 15 leitos, registra uma ocupação de 60%.

Anteontem, o Diário do Alto Tietê mostrou que o Hospital Regional Dr. Osíres Florindo Coelho, de Ferraz de Vasconcelos, atingiu 100% da ocupação de leitos revelando novamente a situação preocupante com a falta de vagas no Alto Tietê. Outras unidades estaduais também enfrentam o mesmo problema que tem se tornado comum nas cidades não apenas do Alto Tietê, mas em outras regiões do Estado de São Paulo no enfrentamento da epidemia do novo coronavírus. Em contrapartida a esta situação, o Estado anunciou novos leitos a partir de segunda-feira no Hospital Dr. Arnaldo Pezzuti Cavalcanti. A reivindicação era antiga e foi feita no ano passado pelo Condemat e lideranças políticas do município.

*Texto supervisionado pelo editor