Fase Emergencial entrará em vigor amanhã no Alto Tietê

Nem mesmo os restaurantes conseguiram se livrar das novas restrições
Nem mesmo os restaurantes conseguiram se livrar das novas restrições - FOTO: Emanuel Aquilera

A Fase Emergencial do Plano São Paulo para mitigar a disseminação do coronavírus (Covid-19) entrará em vigor amanhã no Alto Tietê. Decretada pelo governo do Estado em caráter extraordinário, a fase, inédita dentro da estratégia de combate ao vírus, impõe restrições mais severas e propõe o escalonamento no horário de entrada dos trabalhadores. A medida visa conter o surgimento de novos casos e, consequentemente, mais internações, uma vez que os hospitais já começam a relatar ocupações de 100% dos leitos exclusivos para Covid-19.

Atravessando o pior momento da pandemia, o governo do Estado decidiu propor novas regras e exigir mais cuidados e restrições. Entre as principais mudanças, ficou decidido que serviços de retirada de todos os setores, lojas de materiais de construção, celebrações religiosas e atividades esportivas coletivas estão proibidas. Escritórios de qualquer atividade considerada não essencial, assim como o trabalho em geral de órgãos públicos, deverão ser prestados exclusivamente por tele-trabalho.

A mudança que entrará em vigor amanhã, deverá ser mantida por duas semanas até o próximo dia 30 de março. De acordo com o Centro de Contingência do Coronavírus, o intervalo de tempo sugerido é o ideal para quebrar o ciclo de novas contaminações e desafogar o atendimento nos hospitais. Até mesmo o setor de delivery, poupado desde o começo da pandemia, deverá sofrer sanções desta vez. A entrega de alimentos e produtos ao cliente nos estabelecimentos comerciais ficará proibida e serviços de drive-thru só poderão funcionar entre as 5 e 20 horas.

Dada a contínua aglomeração dentro do transporte público, o governo paulista também decidiu intervir, pela primeira vez desde o início da pandemia, no setor. No entanto, a alteração possui apenas caráter sugestivo e não chega a ser obrigatória como as demais medidas citadas. A Fase Emergencial propõe o escalonamento no horário de entrada dos trabalhadores de diferentes setores.

A sugestão estabelece como ideal que o horário de entrada de trabalhadores da Industria seja fixado entre 5 e 7 horas. Entre as 7 e 9 horas, deverão bater o ponto os trabalhadores da área de Serviços e, por fim, no Comércio o horário de entrada ficou entre 9 e 11 horas. Para a medida ter efeito, o governo do Estado pediu, especialmente, a colaboração dos empregadores, reforçando a necessidade de colaboração diante da situação.

*Texto supervisionado pelo editor.

Deixe uma resposta

Comentários