Cidades planejam criar hospitais de campanha

Estruturas criadas foram desativadas
Estruturas criadas foram desativadas - FOTO: Mariana Acioli

As gestões municipais de Itaquaquecetuba e Poá têm estudado a possibilidade de implantação de Hospitais de Campanha para o tratamento de pacientes com a Covid-19. Devido à crise financeira em Poá, que já decretou estado de calamidade financeira (nº 7.731/2021), a unidade só se tornará realidade com recursos federais.

Em nota, a Prefeitura de Poá informou que um Hospital de Campanha pode ser viável apenas por meio de recursos federais, já que a realidade impossibilita qualquer aporte financeiro destinado à implantação de uma unidade.

Já em Itaquá, apesar de questionada sobre investimentos, datas e capacidade de atendimentos, a Secretaria Municipal de Saúde afirmou apenas que está em tratativas com o Governo do Estado de São Paulo.

Por outro lado, em Mogi das Cruzes, o Hospital Municipal localizado em Braz Cubas foi transformado na principal referência para os casos do novo coronavírus na região e teve a oferta de leitos ampliados na cidade.

Ainda ontem, a Prefeitura de Suzano explicou que está preparando a abertura de uma ala no Pronto-Socorro Municipal chamado de "covidário", específica para o atendimento de pacientes diagnosticados com a doença. A previsão é de que comece a funcionar na próxima semana.

O local terá dez leitos de unidade semi-intensiva com respiradores e monitores de parâmetros, oito poltronas para oxigenoterapia de pacientes estáveis, salas de medicação, triagem e coleta, dois consultórios médicos para atendimento e dois postos de enfermagem.