Janeiro registra a criação de 1.112 empregos formais no G5

Todos os setores somados admitiram 3.811 pessoas e demitiram  outras 3.412
Todos os setores somados admitiram 3.811 pessoas e demitiram outras 3.412 - FOTO: Divulgação

A quantidade de moradores recolocados no mercado de trabalho formal em janeiro deste ano nas cidades de Mogi das Cruzes, Suzano, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba e Poá foi superior às demissões que ocorreram no mesmo mês. Isso porque, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), houve 9.409 contratações e 8.297 desligamentos nas cinco cidades mais populosas da região, resultando em um saldo positivo de 1.112 vagas criadas.

Somente o município de Poá fechou o mês de janeiro com um saldo positivo de 206 novas vagas, sendo que na cidade foram contratadas 1.119 pessoas e outras 913 foram desligadas de seus respectivos empregos. Para o setor Industrial, 139 moradores receberam novas contratações, além de 753 para a área de Serviços, 147 para a área Comercial e outras 80 para a Construção.

Em Mogi, a cidade mais populosa entre as demais, o saldo positivo foi de 399 vaga geradas para o primeiro mês do ano. Ainda de acordo com os números do Caged, houve 3.811 admissões e outras 3.412 demissões. Novamente, assim como em Poá, o setor de Serviços foi o que mais contratou, totalizando em 2.344 novos funcionários. Para o Comércio foram admitidas 660 pessoas, 299 para a Construção e outras 505 para a Indústria. Três funcionários foram contratados para cargos de Agropecuária.

Abaixo do saldo de Mogi está o saldo positivo de Suzano, que atingiu os 152 vagas geradas no mês retrasado. O resultado ocorreu quando 1.879 suzanenses foram admitidos e 1.727 demitidos: 1.156 contratações foram para o setor de Serviços, 355 para o Comércio, 128 para a Construção e 237 para a Indústria.

Já na cidade de Ferraz, o saldo também positivo foi de 183, já que enquanto 750 foram contratados, 567 foram desligados de seus postos de trabalho. Quinhentos e dezesseis moradores de Ferraz conquistaram vagas no setor Industrial, sendo que outras 153 ingressaram no Comércio e 83 em Serviços. Além disso, 28 foram admitidas à área da Construção. Por fim, em Itaquá, o saldo positivo total foi de 172, pois houve 1.678 desligamentos e 1.850 admissões.

Segundo o Caged, 678 foram contratados para cargos de Serviços, 613 para a Indústria e 151 para a Construção. Outras 403 tiveram suas carteiras assinadas nos setores comerciais e cinco no agropecuário.