Região quer endurecer medidas contra Covid-19

Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) declarou ontem,, em ofício destinado ao governador João Doria (PSDB), apoio ao endurecimento das medidas restritivas na Região Metropolitana do Estado. A antecipação dos feriados, como alternativa para diminuir o fluxo de pessoas nas ruas, está sendo estudada pelos municípios. A medida já foi adotada pela Prefeitura de São Paulo, que irá adiantar feriados como Corpus Chtisti e até o aniversário da cidade do ano que vem, para daqui a duas semanas e juntar com a Páscoa.

A situação é caótica em toda a região, com os sistemas de saúde já colapsados, inclusive com registro de óbitos de pacientes que aguardavam vagas em leitos de UTI e o aumento contínuo nos novos casos e óbitos por coronavírus (Covid-19).

Há duas semanas a taxa de ocupação de leitos de UTI na região do Alto Tietê se mantém acima de 90%. Nesta semana o índice de ocupação em leitos de enfermaria ultrapassou 100% na maioria dos municípios. A situação é mais crítica nos municípios de Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Santa Isabel e Suzano, onde os índices chegaram a 100% na UTI.

De acordo com o presidente do Condemat e prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi (PL) os prefeitos já vêm estudando medidas mais rígidas em cada município, porém concordaram que para que elas funcionem é necessário que seja adotado em toda a região metropolitana, haja vista que uma decisão isolada não surtiria o efeito desejado, entre outras razões, pela conurbação existente entre as cidades e a circulação do transporte público comum, em especial, o sistema estadual de trens e ônibus, que interliga as cidades.

"Nestas duas últimas semanas estamos vendo que todo o nosso esforço em ampliar os leitos e aplicar medidas restritivas não está sendo suficiente para conter o avanço do vírus na região e que a nossa principal arma continua a ser o distanciamento social. Fazemos o máximo para evitar o recrudescimento das restrições, pois sabemos o quanto afeta a economia de milhões de famílias, no entanto, com o cenário atual, restam poucas alternativas", disse.

"Esperamos do governador João Doria (PSDB) uma decisão de maneira regionalizada para que possamos garantir resultados mais rápidos e efetivos e retomar às atividades nos municípios com segurança para todos", reforçou o presidente.