Saúde regional ainda sofre com a superlotação nos leitos Covid

Em algumas cidades do Alto Tietê, ocupação chegou a ultrapassar os 100%
Em algumas cidades do Alto Tietê, ocupação chegou a ultrapassar os 100% - FOTO: Paulo Pavione/Secop Suzano

No dia em que a Prefeitura de Mogi das Cruzes anunciou a criação da Fase Crítica de restrições, as cidades do Alto Tietê voltaram a apresentar problemas com a superlotação de leitos de Enfermaria e de alta complexidade para tratamento de coronavírus (Covid-19).

Na cidade de Mogi, foi registrado o oitavo dia consecutivo de ocupação completa de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de todos os hospitais públicos estaduais e municipais, além dos hospitais públicos. O agravamento da situação chegou aos leitos de enfermaria, onde apenas 11 dos 228 leitos foram declarados abertos para internação de casos moderados.

A situação na cidade de Poá, no entanto, chegou a ser mais sensível, com a taxa de ocupação chegando a 126% nos leitos de Enfermaria (sendo todos os 15 leitos do setor e outros quatro leitos não Covid também ocupados), e uma taxa de 250% para leitos de Emergência (dos dois leitos designados, no final do dia haviam cinco).

Em nota, a Secretaria de Saúde da cidade informou que chegou a cogitar o fechamento das Unidades Básicas de Saúde (UBS), na quinta-feira, para encontrar uma solução para o Hospital Municipal Dr. Guido Guida, que colapsou em virtude da alta demanda. No entanto, a prefeita Marcia Bin (PSDB), chegou a revogar a determinação. A medida tinha como meta remanejar os profissionais das unidades para reforçar o atendimento no hospital, e os serviços da rede básica seriam concentrados nas Unidades de Estratégia de Saúde da Família (ESF).

A prefeitura de Itaquaquecetuba informou que todos os 31 leitos de enfermaria e os oito leitos de Emergência para infectados por Covid-19 estavam ocupados. A situação era semelhante na cidade de Santa Isabel, onde apenas um leito na Santa Casa de Misericórdia estava livre, dos 32 leitos disponíveis entre Enfermaria e Emergência.

A Secretaria de Saúde de Suzano não divulgou em seu hotsite, até o horário de fechamento da matéria, a atualização da ocupação de leitos em sua rede pública. A última parcial apontava que 109,09% dos 62 leitos disponíveis já estavam ocupados - ou seja, pacientes de Covid-19 também estavam sendo recebidos em outros leitos.

Em Arujá, a Pasta da Saúde afirmou que o Pronto Atendimento Barreto contava com 12 leitos de UTI ocupados, além dos seis leitos ventilatórios ocupados. O Pronto Atendimento Central possuía 23 leitos ocupados, onde foram feitas adaptações para criar leitos extras.

Em Guararema, a administração municipal informou que dos oito leitos de Enfermaria, dois estão sendo usados, representando 25%. O município não conta com leitos de UTI.

As prefeituras de Biritiba Mirim e Salesópolis não enviaram resposta à reportagem. O Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) informou que, até quarta-feira, a taxa geral dos municípios da região estava em 95,5%.

Mortes

O Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), informou ontem a morte de mais 14 pessoas por coronavírus (Covid-19). Os óbitos ocorreram em Biritiba, Guararema, Mogi, Poá, Santa Isabel e Suzano, esta última cidade foi a que registrou o maior número de mortos por Covid-19: sete.

Deixe uma resposta

Comentários