Circulação de pessoas pode ficar mais restrita na região

Caso a restrição seja maior, comércio deverá sofrer consequências econômicas
Caso a restrição seja maior, comércio deverá sofrer consequências econômicas - FOTO: Emanuel Aquilera

Os prefeitos do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) realizarão amanhã uma reunião virtual com o governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB), em que a pauta do encontro será a definição de medidas mais restritivas nas circulação de pessoas na região, na tentativa de frear a incidência de casos pelo coronavírus (Covid-19). A agenda ocorrerá depois de outra reunião virtual, realizada no fim da tarde de ontem, em que foi tratado um pacote de medidas para evitar o colapso dos sistemas de Saúde da região.

Segundo a direção do grupo intermunicipal, os prefeitos voltaram a dizer que é necessário que a definição parta do Centro de Contingência do Estado, para que as medidas sejam tomadas de maneira uniforme e coordenada, levando em consideração a circulação de pessoas pelos sistemas de transporte público. "Entendemos que é preciso restringir ainda mais a circulação de pessoas nas ruas para conter a transmissão do vírus, no entanto precisamos que este efeito seja regional mediante estudos técnicos do impacto destas medidas na situação atual da pandemia. Não podemos nos esquecer também dos impactos sociais e econômicos que estas medidas mais duras podem causar", disse o presidente do consórcio e prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi (PL).

Os prefeitos discutiram ainda a possibilidade de antecipar feriados municipais e pontos facultativos. "Vamos aguardar o posicionamento do Estado na reunião de domingo e, logo em seguida, nos reuniremos para definirmos a nossa atuação em bloco", frisou o presidente do consórcio.

Fase Crítica

A cidade de Mogi das Cruzes passará a ter uma nova série de restrições a partir de segunda-feira, com o objetivo de impedir a circulação de pessoas e reduzir o potencial de contágio do novo coronavírus (Covid-19). A Fase Crítica terá duração de dez dias e, segundo o prefeito Caio Cunha (Pode), poderá evoluir para um lockdown caso não haja redução no número de casos.

O anúncio foi feito em um videoconferência de imprensa, onde esteve acompanhado da vice-prefeita Priscila Yamagami Kehler (Pode) e do secretário municipal de Saúde, Henrique Naufel.

Dentre as medidas a serem tomadas, estão a permissão para drive-thru apenas de serviços essenciais como farmácias e setor de alimentação; a restrição no trânsito de pessoas durante as 24 horas do dia (e não apenas no período do toque de recolher do Estado das 20 às 5 horas), sendo permitido apenas o deslocamento para trabalho, compras de mantimentos e medicamentos, bem como atendimento médico. O prefeito de Mogi das Cruzes reforçou que irá intensificar a fiscalização, principalmente em parques e praças onde possa ocorrer aglomerações.

Outro ponto dentro da Fase Crítica além da redução no máximo de ocupação em supermercados, sendo permitida apenas uma pessoa a cada 20 m², no interior dos estabelecimentos.

Deixe uma resposta

Comentários