Ação busca medidas para diminuir impacto dos aluguéis para comerciantes

Dúvidas podem ser esclarecidas por meio do whatsapp
Dúvidas podem ser esclarecidas por meio do whatsapp - FOTO: Divulgação/PMMC

Encontrar soluções para melhorar as condições de comerciantes que estão com dificuldades com o aluguel de seus pontos é o trabalho de um grupo formado por representantes de entidades envolvidas na questão em Mogi das Cruzes e da Prefeitura. Um diagnóstico sobre a situação de locação dos imóveis comerciais na cidade com a crise causada pela pandemia de Covid-19 será desenvolvido pelos participantes.

As definições começaram a ser adotadas em uma reunião realizada no final da última semana, com representantes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci), da Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC), do Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região (Sincomércio) e da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). Proprietários de imobiliárias e corretores de imóveis que trabalham na cidade também acompanharam o encontro, que aconteceu pela internet.

"O país está vivendo uma fase dura, em que restrições mais rígidas estão sendo adotadas para o enfrentamento da pandemia. Isso tem reflexo direto na economia, principalmente no comércio e nos pequenos negócios. A questão do valor de aluguel dos pontos comerciais é muito sensível. É importante que seja encontrado um equilíbrio para que nenhum dos lados seja prejudicado e seja possível preservar o funcionamento dos estabelecimentos, os empregos e a renda dos mogianos", afirmou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Gabriel Bastianelli.

Com a alta no IGP-M, índice de referência para a correção dos valores dos aluguéis, a solicitação às imobiliárias e aos corretores é buscar um equilíbrio sobre os valores, de modo a não onerar os comerciantes que já enfrentam problemas com a queda de faturamento, nem prejudicar os proprietários dos imóveis, que poderiam ter a locação dos espaços inviabilizada.

Além disso, ficou decidido que o Creci e o Sincomércio farão um mapeamento detalhado sobre o número e as condições de imóveis vagos e que buscam locatários. As duas entidades e a ACMC também farão um levantamento de dados sobre a atual situação dos espaços comerciais, com informações como tempo de vacância, porcentagem de imóveis disponíveis e valor médio do metro quadrado..

A Prefeitura deverá reforçar ações de fiscalização, zeladoria e conservação em áreas comerciais, a pedido dos participantes. Uma nova reunião deverá ser realizada até o final deste mês para a análise das providências adotadas e dos resultados obtidos.