Fevereiro fecha como mês mais violento do trânsito em Mogi

Acidentes em fevereiro passado superam os dos últimos cinco anos para o mês
Acidentes em fevereiro passado superam os dos últimos cinco anos para o mês - FOTO: Mogi News/Arquivo

Mogi das Cruzes registrou nove mortes no trânsito em fevereiro. Na comparação com o mesmo período do ano passado, a incidência de fatalidades nas pistas mogianas cresceu 200% e marcou o mês mais violento dos últimos cinco anos. De acordo com os dados divulgados pelo Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga), nem mesmo a pandemia do coronavírus (Covid-19) e sua decorrente redução de circulação de pessoas e tráfego serviu para frear o aumento de ocorrências fatais nas estradas do município.

Maior número

Dentro dos resultados colhidos entre as cinco cidades mais populosas do Alto Tietê (G5), o número de Mogi chama atenção por representar o pior índice de violência no trânsito. Enquanto Suzano, Itaquaquecetuba, Ferraz de Vasconcelos e Poá mantiveram estabilidade e até leve queda no registro de casos em comparativo ao ano passado, Mogi foi a única da região a registrar aumento.

Em fevereiro do ano passado, quando a pandemia da Covid-19 ainda não havia alterado o fluxo de veículos do trânsito em Mogi nem a vida da população, a cidade registrou três vítimas fatais de acidentes em suas vias. Um ano depois, em um cenário completamente modificado, onde se esperava menos acidentes em razão da diminuição de circulação de pessoas, a cidade registrou o triplo de óbitos. A alta extraordinária extrapolou o que o banco de dados do Infosiga vinha registrando desde 2015 - registro mais antigo disponível na plataforma disponibilizada pelo governo do Estado.

A cidade vizinha, dentro do G5, que ficou mais perto dos números de Mogi em fevereiro foi Itaquá com quatro óbitos no trânsito. O resultado do mês passado na cidade apresentou estabilidade no comparativo com o mesmo período de 2020, quando também quatro vítimas fatais foram registradas. Em seguida, Suzano marcou duas ocorrências, repetindo o registrado no ano passado e marcando a tendência de estabilidade na violência no transito do G5.

Por fim, com menores populações e áreas geográficas entre as cinco cidades, Ferraz de Vasconcelos e Poá informaram um óbito no trânsito cada. Em fevereiro de 2020 Ferraz não havia registrado nenhuma caso e Poá havia comunicado o mesmo número.

*Texto supervisionado pelo editor.

Deixe uma resposta

Comentários