Após 1 ano da primeira morte, região acumula 2.651 óbitos

Um ano após a primeira morte por coronavírus (Covid-19) em Suzano, o Alto Tietê já acumula 2.651 óbitos, o que equivale a pouco mais de sete pessoas perdendo a vida por dia desde o primeiro registro. Segundo o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), só ontem, a região registrou 36 óbitos, a maior parte deles em Suzano e Ferraz de Vasconcelos, as vítimas tinham entre 45 e 89 anos. Nove das dez cidades que compõem o Alto Tietê registraram mortes ontem e aumentaram o acumulado de vítimas.

Dos 66.551 casos confirmados da Covid-19 na região, desde o início da pandemia, a estimativa é de que 12,3 mil moradores estejam com o vírus ativo e potencialmente transmitindo para demais pessoas. No momento, o Alto Tietê enfrenta o colapso do sistema de Saúde que marca ocupação de 100% dos leitos exclusivos para tratamento de pacientes contaminados.

Cidades com grande oferta de leitos, como Mogi das Cruzes, que oferece 149 Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e 237 de Enfermaria em sete hospitais das redes estadual, municipal e particular, já não possui mais vagas disponíveis há mais de uma semana. A ocupação de leitos na região se reflete nos índices do Estado que informou ocupação superior a 91% e recorde de 1.021 novas mortes por Covid-19 em um dia. No Brasil, os números passaram da casa dos três milhares ontem pela primeira vez, foram 3.158 mortos registrados em 24 horas.

No Alto Tietê, conforme atualização diária do Condemat, Mogi é a cidade com maior número de mortes, marcando 821 óbitos, desse total, quatro vítimas fatais foram registradas ontem. Em seguida, Itaquaquecetuba figura na lista em segundo lugar com 495 vidas perdidas, a última delas ontem. Suzano fecha o grupo das três mais populosas com 437 mortes e o maior número de óbitos no dia de ontem entre as dez cidades, fechando o dia com nove falecimentos.

Ferraz de Vasconcelos já soma 253 óbitos desde o começo da pandemia, as oito mortes mais recentes desse acumulado foram registradas ontem. Com 197 mortes, uma delas nesta terça-feira, Poá aparece em seguida também comunicando lotação de suas poucas vagas de internação. No grupo das menos populosas do Alto Tietê, Arujá aparece com 155 óbitos, cinco deles registrados ontem. Bem próxima do resultado da vizinha, Santa Isabel já comunicou 148 falecimentos, sendo os dois mais recentes registrados ontem.

Guararema informou duas mortes ontem e subiu para 60 óbitos desde o começo da pandemia, Biritiba Mirim, com 55 mortes registrou uma alta ontem de quatro fatalidades. Por fim, Salesópolis, a menos populosa do Alto Tietê, já acumula 30 falecimentos, foi a única cidade da região a não registrar mortes ontem.

*Texto supervisionado pelo editor.