Isolamento social está abaixo do ideal no G-5

Monitoramento apontou muita gente ainda pelas ruas
Monitoramento apontou muita gente ainda pelas ruas - FOTO: Mariana Acioli

A segunda semana de fase emergencial do Plano São Paulo no conjunto das cinco cidades mais populosas do Alto Tietê (G5) começou com pouca mudança no isolamento social que segue abaixo do recomendado. Conforme apontou atualização do Sistema de Monitoramento Inteligente de São Paulo (Simi), no comparativo com a semana passada, o registrado nesta segunda-feira teve elevação de dois pontos percentuais em Suzano e Ferraz de Vasconcelos que alcançaram taxas de isolamento de 42 e 45%, respectivamente. Mogi das Cruzes ficou com 42% e manteve estabilidade no índice, Itaquaquecetuba subiu um ponto percentual e Poá reduziu o isolamento.

Nem mesmo a fase inédita do Plano São Paulo, com restrições de circulação de pessoas entre as 20 e 5 horas, além de uma série de novas regras para conter a disseminação do vírus na região foi capaz de manter, pelo menos, metade da população em isolamento social. Atualizado diariamente, o Simi mede o índice de isolamento social por meio de uma parceria com as operadoras de telefonia celular e, conforme divulgação referente ao primeiro dia da nova fase, pouca coisa mudou no comportamento da população das cidades do G5.

Ferraz registrou o melhor índice de isolamento da região, marcando 45% na segunda-feira passada, uma semana antes a cidade contabilizava uma taxa de 43%. Apesar da elevação, o índice continua inferior aos 60% recomendados como ideal pelo governo de São Paulo.
*Texto supervisionado pelo editor