Semae terá recursos para coletor de esgoto

Investimento total previsto será mais de R$ 1 milhão
Investimento total previsto será mais de R$ 1 milhão - FOTO: Divulgação/PMMC

O Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) garantiu recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro) para construção de um coletor-tronco de esgotos, que atenderá mais de 4.400 moradores da região da praça Deputado Paulo Kobayashi (conhecida como Praça do Oito), no Parque Santana. O contrato com o Fehidro, recém-assinado, garante um repasse de
R$ 882.281,26, via Banco do Brasil.

O investimento total previsto será superior a R$ 1 milhão - incluindo a contrapartida da autarquia, de R$ 126.244,11.

O projeto prevê a implantação de 1.060 metros de coletor, da Praça do Oito até um ponto da rua Lara, onde se conectará ao sistema existente e que encaminha o esgoto coletado para tratamento na estação da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), em Suzano.

Com a assinatura do contrato entre o Semae e o Fehidro, o próximo passo é o envio de um projeto de lei à Câmara Municipal que autorize o recebimento dos recursos, e posterior abertura do processo de licitação que definirá a empresa responsável pela execução da obra.

O prazo de construção do coletor será de 12 meses, contados após a liberação da primeira parcela do financiamento, que deve ocorrer depois do processo licitação, assinatura de contrato com a empresa vencedora e aprovação de todo processo licitatório pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e Banco do Brasil.

O projeto do novo coletor foi aprovado pelas câmaras técnicas do Comitê da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê, pela Cetesb e Banco do Brasil, culminando na assinatura do contrato.

Automação

Outro projeto do Semae para execução com recursos do Fehidro, que já está com a licitação concluída, é a ampliação da automação, telemetria e telesupervisão do sistema de abastecimento de água da cidade, com foco em coleta de dados para controle e redução de perdas.

O investimento será de pouco mais de R$ 3 milhões, sendo R$ 2,6 milhões do fundo estadual e R$ 455 mil de contrapartida. Atualmente, a autarquia aguarda a liberação da primeira parcela para emissão da ordem de serviço.