Fase emergencial no Estado é prorrogada até 11 de abril

Objetivo é reduzir a circulação de pessoas nas ruas para interromper alta de Covid
Objetivo é reduzir a circulação de pessoas nas ruas para interromper alta de Covid - FOTO: Emanuel Aquilera

Com a continuidade na alta de novos casos de Coronavírus, bem como nos óbitos e internações, os municípios do Condemat - Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê devem prorrogar a Fase Emergencial do Plano São Paulo e o "toque de recolher" das 20h às 05h até o dia 11 de abril, conforme determinação do Governo do Estado anunciada hoje (26/03) durante coletiva de imprensa.

De acordo com levantamento do Condemat, os novos casos da doença tiveram uma alta de 21%, enquanto os óbitos subiram 42% nos últimos 14 dias, em comparação aos 14 dias anteriores. Somente nos últimos sete dias foram registrados 5.166 novos casos e 376 óbitos.

Além disso, mesmo com a recente ampliação da capacidade de atendimento na região, com a abertura de mais de 120 novos leitos de UTI, semi-intensiva e enfermaria nos hospitais municipais, estaduais e filantrópicos e mesmo enfrentando medidas duras de restrições desde o dia 6 de março, quando teve início a Fase Vermelha em todo o Estado, a taxa de ocupação de leitos continua a subir se mantendo acima de 90% há três semanas, sendo que em unidades de Ferraz de Vasconcelos, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes e Suzano a taxa se mantém em 100% há dias.

O presidente do consórcio, Rodrigo Ashiuchi falou sobre a agilidade na ocupação das vagas abertas e ressaltou novamente a responsabilidade de todos na luta contra a pandemia.

"Mesmo com toda mobilização e esforço pela abertura de novos leitos, as vagas que são disponibilizadas nas unidades hospitalares da região são rapidamente ocupadas e a fila de espera por leitos está cada vez maior. O que precisamos é barrar a contaminação pelo vírus e isso só conseguiremos juntos: poder público, instituições privadas, entidades e população" destacou.

Devido à proximidade do mega feriado na Capital e demais regiões do Estado, os municípios devem reforçar as barreiras sanitárias e ações de fiscalização, com o objetivo de barrar a entrada de visitantes, bem como esvaziar qualquer tipo de aglomeração.

"Apesar da nossa região não adotar o feriado, é preciso que todos entendam que quarentena não é férias e que a antecipação de feriados é uma estratégia de alguns municípios para controlar a pandemia. Aqui na região entendemos que esta antecipação não seria eficaz, porém os municípios ficam sujeitos à visitação de grupos vindos de cidades que decretaram o feriado", disse Ashiuchi, reforçando que a região segue as medidas de restrição há mais de 20 dias, mas ainda assim alguns grupos continuam a promover aglomerações clandestinas em locais particulares. "É triste ver que, mesmo diante da atual situação sanitária e econômica em todo o país, algumas pessoas insistem em promover festas, encontros e eventos que geram aglomeração e contribuem para a disseminação do vírus. Agora não é hora para isso. É hora de nos cuidarmos e cuidarmos do próximo".

Mais cedo o Governo anunciou a criação da primeira vacina 100% brasileira durante coletiva à imprensa.