Aliança Francesa de Mogi terá local definido no 2º semestre

Em decorrência do agravamento da pandemia pela Covid-19, o local onde a Aliança Francesa de Mogi das Cruzes estará localizada será definido apenas no segundo semestre deste ano. A diretora da instituição, Lígia de Pádua Xavier, explicou que é necessário aguardar o período mais turbulento da pandemia passar para dar continuidade aos planejamentos da estrutura física.

Enquanto isso, alguns mogianos que já estão matriculados nos cursos, participam das aulas de forma remota. Eles estão entre os mais diversos alunos do país que também estudam pela instituição sem fins lucrativos. Além dos cursos regulares que começam nesta semana, há também a abertura de novas turmas todos os meses.

'A nossa proposta de curso de francês é tornar a língua acessível para diversos públicos, por meio de uma mensalidade com o custo mais baixo. Entendemos que a língua francesa, antes do glamour, remete aos Direitos Humanos e à Civilização Francesa, por exemplo", explicou a diretora Lígia.

Apesar das atividades da unidade mogiana já estarem previamente organizadas, a diretora explicou que o cronograma ainda não foi realizado, mas que deve ser feito no segundo semestre deste ano. "Uma das atividades que deve ser trazida à cidade é o Festival de Cinema Varilux, que é normalmente realizado no mês de junho. No entanto, os projetos estão sendo adiados considerando o momento difícil que estamos vivendo", lamentou a diretora.

O Festival tem como proposta atrair o público para a recente safra de cinematografia francesa. Ao longo dos últimos anos, a ação vem conquistando não só admiradores das produções francesas, como também o espectador comum, interessado na diversidade cultural. Além da exibição de filmes, o evento contempla atividades paralelas, como debates, sessões educativas e laboratório franco-brasileiro de roteiros.

A parceria com a Secretaria Municipal de Cultura também permitirá que Mogi seja incluída no eixo artístico da rede das Alianças Francesas. Isso compreenderá diversas ações, como a organização de concertos com músicos de renome no circuito artístico brasileiro, que defendem a popularização da música clássica francesa e também a promoção de intercâmbio cultural entre artistas plásticos da região, para a exposição itinerante de suas obras nas cidades do Leste Paulista que possuem unidades da instituição.