Sem trégua, leitos de UTI em Mogi seguem 100% ocupados

Luzia de Pinho Melo é o hospital que mais recebe internados por coronavírus
Luzia de Pinho Melo é o hospital que mais recebe internados por coronavírus - FOTO: Fábio Miranda

Mogi das Cruzes se aproxima da terceira semana com lotação de 100% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes infectados com o coronavírus (Covid-19). Conforme atualização da Secretaria Municipal de Saúde, há 19 dias sem trégua, a rede municipal, estadual e privada instalada no município registra colapso. Atendendo diversas cidades vizinhas e fornecendo a maior infraestrutura para tratamento na região, Mogi começa a se ver sem saídas após negativa dos prefeitos do Alto Tietê em promover um lockdown em conjunto.

Ontem foi mais um dia de ocupação máxima das unidades de saúde mogianas, a situação crítica foi relatada nos sete hospitais que oferecem leitos exclusivos para pacientes com sintomas graves da Covid-19. No total, 159 leitos de UTI estão ocupados e a cidade também sofre com a lotação de 100% dos leitos de Enfermaria - utilizados para reabilitação de pacientes com sintomas menos graves. São 240 infectados em reabilitação nesta ala hospitalar.

Os números levam em consideração a soma de todos os leitos disponíveis na cidade distribuídos nas seguintes unidades: Hospital Municipal, Santa Casa, Luzia de Pinho Melo, Hospital Ipiranga, Hospital Santana, Biocor e Mogimater. Quando considerados apenas os leitos públicos, a oferta é menor. São 103 leitos de UTI e 162 de Enfermaria, todos ocupados.

Com a maior disponibilidade de leitos do Alto Tietê, Mogi também recebe demanda de diversas cidades vizinhas, sem alivio nos índices há semanas, o Prefeito Caio Cunha (Podemos) chegou a apelar aos municípios vizinhos pela necessidade de medidas mais restritivas.

Na reunião, promovida pelo Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê, os prefeitos rejeitaram proposta de lockdown conjunto. Diante da negativa, a Prefeitura de Mogi tenta contornar a situação criando barreiras sanitárias nas entradas da cidade para conter a disseminação do vírus.

Apesar da insistência dos demais municípios da região em manter regras mais brandas, a situação dos leitos fornecidos pela rede municipal também é grave. Em Suzano, por exemplo, 75% das vagas de UTI estão ocupadas, restam cinco vagas. Na Enfermaria, por outro lado, a lotação ultrapassa o limite e registra demanda de 110%.

Em Itaquaquecetuba, os 35 leitos de Enfermaria e 11 de emergência se encontravam ocupados até a última atualização. Os únicos dois leitos de UTI em Poá também estão ocupados, e restam cinco vagas na Enfermaria..

Mortes

O Condemat, em parceria com as prefeituras da região, informou ontem à tarde que mais 39 pessoas morreram no Alto Tietê. Com essa atualização, a região soma 2.841 pessoas mortas pela doença desde março do ano passado.

Os óbitos ocorreram em Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Santa Isabel e Suzano, esta última foi a que registrou o maior números de mortes, 12 no total.

*Texto supervisionado pelo editor.

Deixe uma resposta

Comentários